Jon Super/AP
Jon Super/AP

Manchester United marca no fim e arranca empate com Chelsea

Equipe de Falcao García e Di María chega aos 13 pontos e é o oitavo colocado no Campeonato Inglês

Estadão Conteúdo

26 de outubro de 2014 | 16h04

O Manchester United não economizou em contratações para esta temporada e trouxe nomes como Falcao García, Di María, Luke Shaw, entre outros, mas foi um velho conhecido que salvou a equipe neste domingo, 26. Em casa, perdia para o Chelsea até os acréscimos do segundo tempo, quando Robin van Persie apareceu e selou o empate por 1 a 1, pela nona rodada do Campeonato Inglês.

O resultado levou o Chelsea a 23 pontos após nove partidas, ainda invicto e tranquilo na ponta, com quatro à frente do segundo colocado Southampton. Na próxima rodada, sábado que vem, a equipe recebe o lanterna Queens Park Rangers. Já o Manchester United chegou aos 13 pontos e é o oitavo colocado. No domingo que vem, fará outro clássico, desta vez com o Manchester City, fora de casa.

O time da casa entrou em casa desfalcado de Falcao García, lesionado, e Rooney, suspenso, mas o Chelsea também tinha uma importante ausência: Diego Costa, se recuperando de problema físico. O desfalque só não foi mais sentido porque o ídolo Didier Drogba reviveu seus melhores dias na equipe londrina e marcou o único gol do jogo, seu primeiro no Campeonato Inglês depois de 960 dias. Ele seria o herói da vitória se não fosse a estrela de Van Persie, que apareceu quando o resultado parecia definido e garantiu ao menos um ponto ao Manchester.

O JOGO

O começo foi corrido. O Chelsea apertava a marcação, mas o Manchester encontrava espaço pelo lado direito da defesa adversária. Apesar da alta velocidade de ambos os lados, ninguém criava e logo o ritmo diminuiu.

Somente aos 22 minutos o Manchester teve a primeira chance. Januzaj recebeu pela esquerda e deu enfiada precisa para Van Persie, mas Courtois foi esperto e saiu para abafar o chute. No minuto seguinte, o próprio Van Persie cabeceou fraco, mas quase encobriu o goleiro belga, que se recuperou e agarrou.

O Chelsea até ficava um pouco mais com a bola, mas só conseguiria levar perigo aos 40 minutos, e graças a uma falha do adversário. Rojo errou ao tentar tocar de cabeça na zaga e a bola ficou com Oscar. O brasileiro dominou dentro da área e rolou para Drogba, que chegou batendo em cima de De Gea.

O segundo tempo começou bem mais movimentado do que o primeiro. Logo aos seis minutos, Fellaini arriscou da meia-lua e levou perigo. No minuto seguinte, o Chelsea respondeu com bela tabela entre Hazard e Drogba que o belga bateu em cima de De Gea. No escanteio, no entanto, saiu o primeiro. Drogba se antecipou a Rafael e subiu muito para desviar de cabeça na primeira trave.

O gol fez o Manchester sair para o jogo, mas a equipe esbarrava na boa organização defensiva do Chelsea. Por sua vez, os londrinos encontravam espaço quando iam à frente e aos 22 minutos Ivanovic quase marcou um golaço depois que tabelou com Willian, cortou seu marcador e bateu mesmo sem ângulo, rente à trave.

Somente nos minutos finais, mais na base do esforço do que da inspiração, o Manchester exerceu uma pressão de fato. Aos 33, a equipe teve grande momento, quando Van Persie recebeu de Shaw pela esquerda e bateu cruzado, mas Courtois defendeu.

Quando a partida parecia controlada e a vitória garantida, o Manchester empatou. Ivanovic fez falta em Di María pela esquerda e foi expulso. Na cobrança, Fellaini cabeceou, Courtois fez milagre, mas a sobra ficou com Van Persie, que encheu o pé, com raiva, e garantiu a igualdade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.