Jon Super/AP
Jon Super/AP

Manchester United vence Liverpool e vira líder do Campeonato Inglês

Ressentido com suspensão, Suárez se recusou a cumprimentar Evra antes de a bola rolar

AE, Agência Estado

11 de fevereiro de 2012 | 12h51

MANCHESTER - O Manchester United reassumiu a liderança do Campeonato Inglês neste sábado, depois de vencer o clássico contra o Liverpool por 2 a 1, em Old Trafford, pela 25.ª rodada da competição. Conforme esperado, porém, o jogo foi mais uma vez marcado pela tensão racial crescente no futebol inglês.

Patrice Evra, Luis Suárez e Rio Ferdinand foram os personagens do episódio. Acusado de proferir insultos racistas contra o Evra no jogo do primeiro turno, em outubro passado, o que causou a ele uma suspensão de oito partidas, Suárez se recusou a cumprimentar o francês antes de a bola rolar em Manchester.

Durante os tradicionais cumprimentos entre as duas equipes, Evra estendeu a mão e viu Suárez passar reto por ele, cumprimentando direto o próximo jogador da fila, o goleiro espanhol David De Gea. O francês não se deu por vencido. Tentou novamente dar as mãos ao uruguaio, que mais uma vez recusou. Durante a semana, o técnico do Manchester United, Alex Ferguson, havia sugerido ao seu jogador que este contivesse a mágoa, estendesse a mão ao adversário, e não ampliasse a polêmica. Suárez parece não ter ouvido o mesmo conselho.

Logo depois, Rio Ferdinand se recusou a cumprimentar Suárez, que não se importou muito por isso. O zagueiro inglês é um dos envolvidos na tensão racial do futebol inglês. Seu irmão mais jovem, Anton Ferdinand, do QPR, acusa John Terry, do Chelsea, de insultos racistas. A Federação Inglesa retirou deste a braçadeira de capitão da seleção inglesa até que tudo seja esclarecido. Fábio Capello não gostou e pediu demissão do cargo de técnico da Inglaterra.

No fim do jogo, Patrice Evra comemorou muito a vitória no clássico. Na saída do campo, vibrou efusivamente ao lado de Suárez, que fingia ignorar. Temendo uma confusão, um dos bandeirinhas correu para tirar Evra dali. Alguns jogadores do Liverpool tentaram tirar satisfação com o francês, mas acabaram contidos.

O resultado fez o Manchester United ir a 58 pontos, um a mais que o Manchester City, agora vice-líder, mas que ainda joga na rodada, domingo, contra o Aston Villa. O Liverpool é o sétimo, com 39.

O JOGO

Assim como havia sido em Liverpool, pela Copa da Inglaterra, há duas semanas, quando Evra foi vaiado a cada toque na bola, Suárez também foi "perseguido" pela torcida do Manchester em Old Trafford.

Com a bola rolando, o Manchester foi superior, mas só conseguiu abrir o placar no segundo tempo. Os dois gols saíram nos cinco minutos depois da volta do intervalo, ambos marcados por Rooney. No primeiro Giggs cruzou escanteio da esquerda, Handerson resvalou e a bola caiu para o atacante bater de primeira, sem chances para Reina. Pouco depois, Spearing saiu jogando errado e perdeu a bola para Valência. O equatoriano fez o passe preciso para Rooney bater na saída do goleiro.

Só no fim é que o Liverpool reagiu. Aos 35 minutos, Adam bateu falta na área, a bola bateu em Ferdinand e sobrou para Suárez, na pequena área, marcar. Já nos acréscimos, Bellamy arriscou da entrada da área e De Gea salvou o Manchester.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.