Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Mancini desmente Jean e diz que goleiro pediu para ser afastado no São Paulo

Técnico lamenta que jogador tenha se rebelado, mas diz que está disposto a perdoá-lo se ele quiser voltar a treinar com o grupo

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

21 de março de 2019 | 00h52

O técnico Vagner Mancini desmentiu a versão do goleiro Jean, que afirmou não ser tratado da mesma maneira que o restante do elenco do São Paulo. “Lá atrás, quando o Jean não quis ir ao jogo contra o Red Bull, sentei com ele por quase meia hora, bati um papo com o atleta. Naquele momento não era a atitude correta dele, ele estava reivindicando uma titularidade, eu expliquei isso para ele”, afirmou o treinador ontem, em entrevista coletiva após o empate por 1 a 1 diante do São Caetano. 

“Teve uma cobrança em cima do grupo, e somente ele se rebelou. Eu disse para ele que estava fazendo a coisa errada. Ali não estava o técnico Vagner Mancini, estava o pai Vagner Mancini. O que eu li na nota não é a realidade dos fatos.” 

O treinador afirma que abre espaço para um pedido de desculpas para que o atleta seja reintegrado. Hoje, ele treina separadamente. “Somos seres humanos. Erramos e acertamos. Todos podem ter uma segunda chance”, afirmou. “O atleta pediu para ficar separado do grupo. A partir do momento em que quiser voltar, vamos analisar”, disse Vagner Mancini. 

Raí, diretor executivo de futebol, também afirmou que o goleiro Jean pode voltar a jogar no clube. “É preciso respeitar a hierarquia. Nós estamos apoiando o Mancini, mas precisamos avaliar a situação com calma. É tudo muito recente.” 

Jean foi afastado do grupo depois de abandonar uma reunião de cobrança da comissão técnica na segunda-feira. O jogador disse ter ficado incomodado por críticas de Mancini. Ele justificou a atitude afirmando que não é tratado da mesma forma que o restante dos jogadores pelo técnico interino por causa de rivalidades em outros clubes (Jean era goleiro do Bahia enquanto Mancini dirigia o Vitória). “Nunca tive problemas com ele. Quando eu cheguei, eu fiz questão de cumprimentá-lo", disse o treinador. 

Notícias relacionadas

    Encontrou algum erro? Entre em contato

    Tendências:

    O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.