Mancini diz que nervosismo atrapalhou Manchester City

O técnico Roberto Mancini avaliou que a pressão pela estreia na Liga dos Campeões da Europa foi um dos fatores que levaram o Manchester City a apenas empatar em casa com o Napoli, por 1 a 1, na quarta-feira, em duelo válido pela primeira rodada do Grupo A. Para o treinador, o nervosismo fez com que alguns jogadores abusassem do individualismo.

AE, Agência Estado

15 de setembro de 2011 | 12h45

"Disputamos o nosso primeiro jogo na Liga dos Campeões da Europa e talvez alguns jogadores quisessem ganhar o jogo sozinhos, já que abusamos das jogadas individuais durante o primeiro tempo. O objetivo passava por vencer, mas a Liga dos Campeões da Europa é um torneio complicado e para nós era importante jogar bem", disse.

Apesar de ter o controle da partida, o Manchester City sofreu o primeiro gol da partida em um contra-ataque, aos 24 minutos do segundo tempo, marcado por Cavani. O time inglês, porém, reagiu e chegou ao empate aos 29 minutos, em cobrança de falta de Kolarov. Essa recuperação da equipe foi exaltada por Mancini.

"Não deixa de ser um bom resultado, já que o primeiro jogo é sempre complicado. Foi difícil enfrentar o Napoli porque defendeu muito bem e quando atacou foi sempre perigoso. Estávamos jogando bem, mas depois sofremos um gol. Durante dez minutos jogamos bem e depois disso acabamos chegando ao empate. Estou feliz", afirmou.

O Manchester City volta a jogar na Liga dos Campeões no dia 27 de setembro, fora de casa, contra o Bayern de Munique, que venceu o Villarreal por 2 a 0 na Espanha e lidera o Grupo A com três pontos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.