Mancini faz testes e esconde formação do Botafogo para clássico

Dúvida do técnico é se escala uma equipe com três volantes, com a entrada do jovem Sydney, ou mais ofensiva, com Ferreyra no ataque

Estadão Conteúdo

15 de agosto de 2014 | 16h09

O técnico Vagner Mancini decidiu apostar no mistério e não confirmou a escalação do Botafogo para o clássico com o Fluminense, domingo, em Brasília, pela 15.ª rodada do Campeonato Brasileiro. Nesta sexta-feira, em treinamento fechado, ele testou duas formações e não revelou qual delas começará jogando.

A dúvida de Mancini é se escala um time com três volantes, com a entrada do jovem Sydney, ou outra mais ofensiva com Ferreyra no ataque. "No treinamento acabei fazendo duas formações e vou optar por uma delas. Uma com Ferreyra e mais um no meio e outra com Sidney no meio-campo e dois atacante de velocidade à frente. Que nos dão chance de ter mais velocidade", afirmou.

Mancini também comentou o que a entrada de Ferreyra no lugar do suspenso Emerson Sheik interfere no Botafogo. "O Tanque me dá, se for escolhido, a possibilidade do jogo aéreo, com a bola mais esticada. Embora não tenha técnica refinada, é lutador, guerreiro, pode servir de pivô, ganho muito grande na bola aérea. Teve altos e baixos no ano, mas está sempre brigando por espaço. Eventualmente não tem entrado nos jogos pela maneira que a equipe tem jogado", disse.

Em comparação com o Fluminense, que foi eliminado da Copa do Brasil com uma surpreendente derrota por 5 a 2 para o América de Natal, o Botafogo teve uma semana mais tranquila, incluindo o pagamento de salários atrasados aos jogadores. Para Mancini, porém, o rival continua sendo o favorito para o clássico.

"O Botafogo teve uma boa notícia essa semana, mas tem muita coisa a ser organizada e reajustada. O Fluminense apesar de ter sido eliminado, vem brigando, está perto do Cruzeiro, joga junto a mais tempo, está mais arrumado. O Fluminense é favorito e o Botafogo sabe que em clássico tudo pode acontecer. Vamos tentar nos superar nos quesitos em que estamos abaixo deles, porventura", disse.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.