Issouf Sanogo/AFP
Issouf Sanogo/AFP

Mané celebra chance de trabalhar com 'heróis' de 2002 na Copa da Rússia

4 jogadores que fizeram parte da equipe que fez história na Ásia fazem parte da comissão senegalesa, incluindo o técnico Aliou Cissé

Estadão Conteúdo

15 Junho 2018 | 21h58

Senegal entrou no mapa do futebol e ganhou a simpatia de torcedores por todo o mundo em 2002, quando surpreendeu na Copa da Coreia do Sul e do Japão e chegou às quartas de final, passando na estreia pela então campeã França. Dezesseis anos depois, quatro nomes daquela equipe são responsáveis diretos pelo sonho de repetir a façanha, desta vez na Rússia.

+ Atacante do Senegal, Niang mostra confiança e vê grupo de jogadores 'competitivo'

+ Craque da Polônia, Lewandowski diz que vai deixar pressão da torcida de lado

+ Antes de viagem à Rússia, Senegal vence Coreia do Sul por 2 a 0 em amistoso

Sem voltar à Copa desde 2002, a federação de futebol do país apostou em alguns dos heróis daquele torneio para conduzir a seleção. E deu certo. Aliou Cissé, zagueiro daquele time, é o atual técnico, auxiliado por seu ex-companheiro de defesa, Omar Daf. O ex-goleiro Tony Sylva e o ex-defensor Lamine Diatta também fazem parte da comissão.

"Ter do nosso lado o Aliou Cissé, o Omar Daf, o Tony Sylva e o Lamine Diatta, grandes nomes do futebol senegalês, é a nossa chance. Eles estão nos guiando e passando sua experiência. Nós pegamos a tocha e estamos escrevendo nossa história", declarou o atacante Sadio Mané, em entrevista ao site da Fifa.

Jogador do Liverpool, Mané é o maior destaque de Senegal na atualidade e esperança de surpreender na Rússia. A seleção está no Grupo H da Copa do Mundo, ao lado de Colômbia, Japão e Polônia. A estreia será diante dos poloneses, na próxima terça-feira, em Moscou.

 
 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.