Mangueirão lotado empurra o Paysandu

Com mais de 40 mil ingressos vendidos até o começo da tarde desta quarta-feira e previsão de público superior a 53 mil torcedores, o Paysandu enfrenta às 18 horas desta quinta-feira, no Mangueirão, o time paraguaio do Cerro Porteño, num jogo que vale a liderança do Grupo 3 da Copa Libertadores da América. Apaixonado por futebol, o torcedor paraense só fala na partida e promete transformar o estádio num caldeirão. O governador do Pará, Simão Jatene, e o prefeito de Belém, Edmilson Rodrigues, decidiram encerrar o expediente nas repartições públicas às 12 horas para que os servidores possam ir ao estádio. Alheios à euforia da torcida, os técnicos dos dois times fazem mistério sobre a escalação e o esquema de jogo que vão adotar. ?Só divulgo o time momentos antes da partida", esquivou-se o treinador do Paysandu, Dario Pereyra. Três mudanças, porém, devem ser feitas: o goleiro Ronaldo, no lugar de Alexandre Fávaro; Dênis, na lateral-esquerda, substituindo Luiz Fernando; e Zé Augusto, no lugar de Balão, formando a dupla de ataque com Robson. ?Pode ser o jogo da minha consagração e não quero decepcionar a torcida que tanto confia em mim", promete Zé Augusto. Para Dario Pereyra, o Cerro Porteño é um time muito perigoso, principalmente nos contra-ataques. ?O melhor é não dar espaço para eles fazerem lançamentos." Do lado paraguaio, o técnico Carlos Baez também esconde a escalação de seu time. Em conversa com jornalistas, ele deu a entender que poderá fazer cinco mudanças na equipe que venceu em Assunção, por 3 a 2, o Universidade Católica do Chile no primeiro jogo da Libertadores. As novidades devem ser o goleiro Cesar Velasco, o zaqueiro Cavallero, o lateral-esquerdo Nuñes, o volante Edgar Barreto, além do atacante Alvaro.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.