Pedro Ernesto Guerra/Santos FC
Pedro Ernesto Guerra/Santos FC

Santos demite funcionário acusado de tentativa de manipulação de resultado do time feminino

Profissional entrou em contato com intermediário do Red Bull Bragantino para acionar atleta do time e combinar resultado no primeiro tempo do jogo realizado no último domingo, na Vila Belmiro

Redação, O Estado de S.Paulo

20 de junho de 2022 | 15h43
Atualizado 20 de junho de 2022 | 22h42

O presidente do Santos, Andres Rueda, revelou nesta segunda-feira que demitiu um funcionário do clube acusado de tentativa de manipulação de resultado da partida entre o time feminino e o Red Bull Bragantino. O profissional havia entrado em contato com um intermediário do clube de Bragança Paulista para acionar uma jogadora da equipe e combinar um resultado elástico ainda no primeiro tempo. A partida terminou empatada em 1 a 1, no domingo, na Vila Belmiro, válida pelo Brasileiro feminino.

A atleta do Bragantino que foi procurada recusou a investida e avisou o clube da tentativa de manipulação, cedendo cópias das conversas. O profissional do clube de Bragança foi demitido, assim como o funcionário do Santos, que não teve seu nome ou cargo revelado. O Bragantino confirmou em nota oficial o caso. A equipe é a lanterna da competição e já está rebaixada, enquanto o Santos está em sexto.

"Talvez seja a cabeça do iceberg do que acontece no nosso futebol. Oficiamos a CBF e colocamos provas e prints, com uma passagem inclusive do início do jogo", disse Rueda, que mostrou preocupação com o caso. A CBF informou que recebeu a denúncia nesta segunda-feira, e, como procedimento padrão em casos como este, encaminhará ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) para a apuração completa dos fatos narrados.

O presidente do Santos levantou suspeita sobre outro episódio. O funcionário demitido pelo clube entregou um envelope à quarta árbitra antes da partida na presença da juíza. A quarta árbitra guardou o documento no bolso. "Eu não quero ser leviano. Aparece o envelope. Tem de ser investigado, porque é uma atitude completamente estranha: antes de o jogo começar, ir lá e entregar um envelope", comentou Rueda, que disse não saber se os fatos estão relacionados.

DEFESA

Por meio de seu advogado, Higor Marcelo Maffei Bellini, o preparador de goleiras Fabrício de Paula se defendeu das acusações sofridas pela direção do Santos. Segundo o profissional, não lhe foram dadas possibilidades de defesa e diz que sequer foram ouvidos os seus argumentos antes de concretizada a demissão por justa causa.

"A defesa do sr. Fabrício, entretanto, reitera que o profissional não possui qualquer ligação com sites de apostas, jogos de azar ou coisas correlatas. Portanto, quaisquer insinuações nesse sentido são meras especulações, sem fundamento algum, que podem ter sido cogitadas, inclusive, possivelmente por um erro de interpretação - pois, de fato, Fabrício tentou contatar a atleta do time adversário em questão, mas por motivos completamente diferentes (que serão explicados detalhadamente nos tópicos a seguir)", relata trecho da nota.

A defesa explica que a ida de Fabrício ao hotel onde estava a delegação do Bragantino foi normal, comum no meio futebolístico. Ele também diz que pediu o contato da goleira da equipe de Bragança por entender que a atleta poderia ser contratada no futuro. Também é negado que tenha sido entregue um envelope à quarta árbitra, sendo apenas uma capa de chuva.

"A defesa do profissional ressalta que quando da apresentação das suas conversas via aplicativo de mensagem, em juízo, ficará comprovado que nada de anormal, existiu. E que ainda a mensagem foi mal interpretada, já que a atleta não entendeu que a intenção era a contratar como profissional. Desta forma, quanto a este 'dossiê' enviado pelos próprios clubes envolvidos à CBF (Confederação Brasileira de Futebol), segundo o que foi veiculado, a defesa do sr. Fabrício tem total convicção de que a verdade será trazida à luz e tudo será esclarecido da melhor forma. Sendo provada a sua inocência no curso do processo a ser movido, pelo Senhor Fabricio", continua a nota.

A defesa finaliza indicando que tomará as medidas judiciais cabíveis para que o preparador de goleiros tenham amplo direito de defesa e possa expor seus argumentos. "Serão tomadas todas as medias judiciais, sejam as trabalhistas, civis e criminais contra todos os envolvidos que ofenderam a honra e a moral do sr. Fabrício, visando reparar os danos causados".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.