Shamshahrin Shamsudin/EFE
Shamshahrin Shamsudin/EFE

Manipuladores de resultados já assediam jogadores da Copa, alerta Fifa

Entidade afirma estar de olho em movimentações para evitar manipulação de resultados

Jamil Chade, correspondente, O Estado de S. Paulo

29 de maio de 2014 | 18h52

GENEBRA - Árbitros e jogadores que estarão na Copa do Mundo no Brasil já foram alvo de assédio por parte de agentes que tentam comprar resultados e manipular o placar de jogos. O alerta está sendo feito pela Fifa, que afirma estar de olho em todas as movimentações para evitar que uma partida da Copa tenha seu placar afetado por apostas ou grupos criminosos.

Ralf Mutschke, responsável da Fifa por garantir a integridade dos jogos, indicou que vai ter um representante dele em cada uma das partidas e que poderá entrar em ação caso os serviços de inteligência e os sistemas de controle de apostas detectem alguma movimentação anormal em casas espalhadas pelo mundo enquanto uma partida está ocorrendo.

"Não esperamos que os manipuladores viajem até o Brasil e batam nas portas dos quartos dos hotéis de cada jogador ou dos árbitros. Mas eu sei que esse contato já teria sido feito com jogadores e árbitros", alertou o ex-funcionário da Interpol a meios britânicos. A Fifa não dá qualquer indicação de quem seriam esses jogadores ou seleções. Mas insiste que está "de olho" no comportamento desses times.

Para muitos especialistas, a Copa não seria alvo de grupos que tentam manipular resultados e que, no fundo, essa prática estaria limitada a jogos menores. A ideia é de que, num Mundial, um jogador tem muito a ganhar se vencer uma partida e, portanto, corrompê-lo seria uma tarefa quase impossível. Mas a Fifa não está tão convencida de que o torneio seja blindado.

Durante a Copa, a principal preocupação da Fifa é com os últimos jogos da primeira fase da Copa. Nessas partidas, várias equipes já estarão eliminadas e não tem nada a ganhar ou perder. Se a Copa do Mundo não é o principal alvo dos grupos criminosos que tentam comprar resultados, parte da manipulação seria para estabelecer o número de gols feitos por uma equipe, e não tanto uma derrota ou vitória.

A entidade também afirma estar em alerta por conta dos amistosos que as 32 seleções estão disputando antes de começar a Copa. Há poucos dias, autoridades policiais do Reino Unido indicaram que estão avaliando a partida Escócia e Nigéria e que serve de preparação para o time africano. Os policiais chegaram a avisar a Fifa, diante de suspeitas que receberam. Agora, o jogo está sob investigação.

A informação recebida pela Fifa foi também de que, antes da Copa de 2010, amistosos de preparação já tiveram seus resultados arrumados.

LUCROS

Nesta semana, o presidente da Uefa, Michel Platini, deixou claro em conversa com o Estado que não vai tolerar que um jogador europeu seja alvo de manipulação e alertou que o mercado das apostas no futebol chega a 400 bilhões de euros por ano.

Segundo ele, no caso de uma partida da Copa do Mundo, os lucros a serem realizados seriam enormes. Grupos criminosos oferecem a jogadores dinheiro para tentar influenciar no resultado da partida. Ao mesmo tempo, apostam em casas espalhadas principalmente na Ásia pelos resultados combinados. Assim, não apenas lucram milhões de euros mas também conseguiriam promover uma lavagem de dinheiro.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.