Alex Silva/Estadão
Alex Silva/Estadão

Mano aciona Cruzeiro na Justiça e pede R$ 5,3 milhões por falta de pagamento

Ex-técnico da equipe cobra valores referentes à rescisão contratual da passagem dele na equipe entre 2016 e 2019

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

20 de maio de 2020 | 12h45

As ações na Justiça contra o Cruzeiro em função da falta de pagamentos de acordos tiveram um acréscimo. Técnico da equipe entre 2016 e 2019, na sua segunda passagem pelo clube, Mano Menezes entrou com dois processos contra o time para receber valores acordados na sua rescisão. O montante solicitado é de R$ 5,3 milhões.

Mano tinha contrato com o Cruzeiro até dezembro de 2019, mas foi demitido meses antes, em agosto. Pela rescisão do vínculo, em acerto fechado no momento de sua saída, ele deveria ter recebido R$ 1,9 milhão. O clube, porém, não pagou o combinado, o que o levou o treinador a acionar a equipe judicialmente, também solicitando a quitação de outros valores, salários atrasados e diferenças do FGTS.

Mas este não é o único processo de Mano contra o Cruzeiro. O treinador reclama o não pagamento de algumas parcelas do seu acordo por direitos de imagem com o clube. Com o somatório do montante das duas ações, o valor requerido é de R$ 5,3 milhões contra o clube mineiro.

Em sua segunda passagem pelo Cruzeiro, Mano venceu duas vezes a Copa do Brasil e o Estadual. Mas acabou sucumbindo durante a campanha que provocou o rebaixamento da equipe à Série B do Campeonato Brasileiro no ano passado.

A cobrança de Mano é apenas mais um das várias que o Cruzeiro enfrenta na Justiça. Na última terça-feira, inclusive, a Fifa determinou a perda de seis pontos na segunda divisão nacional pela falta de pagamento ao Al-Wahda, dos Emirados Árabes Unidos, pela contratação do volante Denilson, em 2016.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.