Mano celebra superioridade do Cruzeiro no clássico: 'Poderia ter feito mais'

Mano celebra superioridade do Cruzeiro no clássico: 'Poderia ter feito mais'

Além do gol marcado por Arrascaeta, equipe perdeu boas chances com Rafael Sóbis, Alisson e Léo

Estadao Conteudo

02 Fevereiro 2017 | 08h50

A grande atuação do Cruzeiro na vitória por 1 a 0 sobre o Atlético-MG, no clássico disputado na última quarta-feira, deixou o técnico Mano Menezes bastante satisfeito. O placar, na estreia das equipes na Copa da Primeira Liga, não refletiu o tamanho da superioridade celeste no Mineirão, como o próprio treinador destacou.

"O Cruzeiro teve uma postura desde o início do jogo de quem queria vencer. Teve atitude para vencer, qualidade de jogo para vencer. Poderia ter feito um placar maior, porque teve chances mais claras. Mas, sabemos que clássico tem suas características, componente emocional, e às vezes você deixa escapar oportunidades como tivemos", declarou.

Arrascaeta, ainda no primeiro tempo, marcou o gol da vitória, mas Rafael Sóbis, Alisson e Léo desperdiçaram grandes oportunidades. Mesmo assim, o Cruzeiro confirmou a segunda vitória em duas partidas oficiais na temporada, início animador para um time que sofreu em 2016 e chegou a brigar contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

"É uma equipe que quer fazer uma temporada diferente, que quer conquistar algo, precisa ser forte como um todo. Se olharmos hoje, veremos que nosso sistema defensivo da última linha foi quase impecável. Nossos laterais souberam se posicionar defensivamente nos momentos em que fomos atacados. Tivemos saída de qualidade na hora do sufoco e da pressão, trabalhamos com qualidade entre as linhas. Isso é importante", comentou.

Mano também fez questão de exaltar o comportamento dos homens de frente, principalmente na marcação por pressão, que tanto incomodou o Atlético-MG. "Os quatro jogadores da frente foram perfeitos na última linha para não deixar o adversário encontrar caminhos para chegar ao nosso sistema defensivo. A equipe foi muito boa como um todo."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.