Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro
Marcello Zambrana/Light Press/Cruzeiro

Mano comemora retornos de Robinho e Caicedo, mas Henrique vira dúvida

Volante sofre corte na perna direita em atividade nesta sexta-feira, pelo Cruzeiro

Estadão Conteúdo

16 de junho de 2017 | 19h10

O técnico Mano Menezes comemorou nesta sexta-feira o retorno de dois titulares no Cruzeiro. O meia Robinho está recuperado de uma pancada no joelho direito e o zagueiro Caicedo volta ao time após defender a seleção equatoriana.

No entanto, durante o trabalho desta sexta-feira, o volante Henrique sofreu um corte na perna direita após uma dividida e virou dúvida para a partida contra o Grêmio na próxima segunda-feira, às 20h, no estádio do Mineirão, no fechamento da oitava rodada do Campeonato Brasileiro.

"As duas equipes estão jogando um futebol parecido, só que o Grêmio tem feito mais gols, nos jogos fora de casa inclusive. A diferença dos dois times é um ponto. As campanhas são parecidas. Sabemos quem iremos enfrentar, numa semana dura. Mas o Cruzeiro tem que saber se comportar. As oportunidades aparecem e temos que saber aproveitar", projetou Mano.

Além dos dois reforços, o trabalho desta sexta-feira contou com a presença do atacante Sassá. O jogador, no entanto, não teve o nome publicado no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF e ainda não deverá ser relacionado para a próxima partida.

Apesar de o time vir de derrota por 1 a 0 para o Corinthians, o treinador elogiou a maneira que a equipe tem se portado em campo nos últimos jogos. "Acho que a gente já fez um jogo bom contra o Atlético-GO (vitória por 2 a 0). Sei que o parâmetro e avaliação do próximo adversário é diferente. E contra um adversário da competição como o Grêmio, é importante mostrar isso definitivamente, com uma ideia bem clara do que vai ser o Cruzeiro para frente. Temos necessidade disso", avaliou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCruzeiroMano Menezes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.