Vinnicius Silva / Ec Cruzeiro
Vinnicius Silva / Ec Cruzeiro

Mano confirma volta de Fábio ao Cruzeiro no clássico contra o Atlético-MG

Treinador não define se utilizará Raniel ou Rafael Sóbis na vaga de Fred, lesionado

Estadão Conteúdo

02 Março 2018 | 12h54

Fora da estreia do Cruzeiro na Libertadores em razão da morte do pai, o goleiro Fábio voltará ao gol da equipe celeste no clássico contra o Atlético-MG, marcado para o próximo domingo, no estádio Independência, em Belo Horizonte. Quem garantiu a escalação dele foi o técnico Mano Menezes em entrevista coletiva nesta sexta-feira.

+ Robinho crava favoritismo do Cruzeiro no clássico com o Atlético-MG

+ Cruzeiro cria promoção para sócio-torcedor em homenagem ao Dia da Mulher

"Fábio vai estar no gol do Cruzeiro no domingo, sem dúvida nenhuma", confirmou o treinador, que, por outro lado, ainda não definiu o substituto de Fred, lesionado, mas deu pistas. "Perder jogadores é ruim. Embora se tenha um elenco de qualidade, queremos ter todos à disposição. Clássico é importante por si só. Não tenho o Fred, vai jogar Rafael Sóbis ou Raniel", disse.

Na avaliação do técnico cruzeirense, o fato de o clássico não ser decisivo para o Cruzeiro em termos de classificação, já que o time lidera o Campeonato Mineiro com folga - tem 22 pontos e está oito na frente o América-MG, segundo colocado -, não diminui a importância do confronto, o primeiro entre os dois times nesta temporada.

"É o clássico mais tradicional, mais importante. Mesmo que não decida a classificação, ele é singular. Vamos encarar dessa forma, primeiro confronto entre os dois grandes esse ano. Vamos nos preparar para fazer um grande clássico. É isso o que queremos", garantiu Mano. "Sem dúvida nenhuma, o torcedor sempre quer ganhar do seu maior rival. E nós vamos entrar em campo com esse objetivo", acrescentou.

O jogo, segundo Mano Menezes, também será importante para testar as ideias do Cruzeiro, após a primeira derrota do time mineiro na temporada, por 4 a 2, para o Racing, da Argentina, na estreia da Libertadores. Na ocasião, a equipe até jogou bem mas acabou sucumbindo à pressão do time argentino fora de casa.

"O que nós vamos ver agora no clássico é que se depois de uma derrota a gente tem a persistência, a convicção das ideias. É depois das derrotas que elas (ideias) são mais testadas, e é isso que vamos fazer no clássico", finalizou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.