Ernesto Rodrigues/AE - 11/01/2010
Ernesto Rodrigues/AE - 11/01/2010

Mano descarta reforços e Ronaldo de jogo com Huracán

Técnico corintiano quer priorizar preparação da equipe alvinegra para a disputa da Copa Libertadores

AE, Agencia Estado

12 de janeiro de 2010 | 13h32

O técnico Mano Menezes informou nesta terça-feira, em entrevista coletiva em Itu, onde o clube realiza pré-temporada, que descartou a presença de Ronaldo e de quase todos os reforços contratados pelo clube no amistoso desta quarta-feira, contra o Huracán, da Argentina, no Pacaembu.

O treinador revelou que o único reforço que estará em campo pela equipe corintiana será o volante Ralf, único dos contratados que está em condições físicas ideais para jogar no primeiro duelo do time em 2010.

O confronto com o Huracán será realizado para o Corinthians cumprir o acordo que firmou com o time argentino quando contratou o meia-atacante Defederico, que previa a realização do duelo. Até por isso, o jogador já foi confirmado na equipe titular.

O aspecto físico também fez Mano Menezes descartar a presença em campo de Ronaldo e Roberto Carlos, que marcarão presença no Pacaembu apenas para saudar os torcedores no confronto que ficará marcado pela homenagem que será feita a Marcelinho Carioca, eleito embaixador do centenário corintiano.

Roberto Carlos está próximo da estreia. Mano acredita que a condição física esteja perto do ideal, mas ainda prefere a cautela. "Penso que ele pode jogar na próxima quarta-feira, mas vamos aguardar um pouco mais para ver o que acontece", disse o técnico, que também espera ter Ronaldo. "Já está bem melhor que no ano passado e poderá estrear antes [do jogo clássico contra o Palmeiras, pela quinta rodada].

Por tratar a partida como festiva e não de preparação, Mano Menezes resolveu antecipar a escalação do Corinthians, que irá a campo com Felipe; Alessandro, Paulo André, William e Escudero; Marcelo Mattos, Jucilei, Morais e Marcelinho Carioca; Defederico e Souza.

Marcelinho Carioca, por sua vez, jogará apenas meio tempo. "A ideia é que Marcelinho Carioca faça os primeiros 45 minutos do jogo para permitir que no intervalo ele receba uma homenagem", justificou Mano.

Já ao comentar a escalação de Ralf, o treinador disse que o volante precisa aproveitar a partida para adquirir ritmo de jogo em uma situação inédita para ele até aqui no Corinthians. "Ele tem trabalhar forte com característica de jogo, que é diferente de treinamento. Pelo espaço curto que a gente vai ter entre um jogo e outro, não vamos poder repetir muito essa situação", lembrou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.