Vinnicius Silva / EC Cruzeiro
Vinnicius Silva / EC Cruzeiro

Mano descarta Thiago Neves para sábado e prevê Arrascaeta na Copa do Brasil

Treinador considera empate com Botafogo no Engenhão como um resultado justo

Estadão Conteuúdo

06 Setembro 2018 | 09h22

O técnico Mano Menezes terá ao menos duas baixas certas no Cruzeiro para o jogo contra o Sport, no sábado, pela 24ª rodada do Brasileirão. Após o empate com o Botafogo por 1 a 1, na noite desta quarta-feira, o treinador admitiu que não terá os meias Thiago Neves e Arrascaeta no fim de semana.

O primeiro vai ficar de fora por conta do planejamento da comissão técnica, que tenta evitar maior desgaste físico dos seus atletas. Já Arrascaeta se recupera de leve lesão muscular que o tirou dos amistosos do Uruguai. Ele chegou a se apresentar à seleção, mas foi liberado e já está em Belo Horizonte.

"O Arrascaeta não vai estar contra o Sport, assim como Thiago Neves não vai estar, dentro do planejamento que a gente fez. Levamos o Robinho, o Egídio, que tivemos um cuidado especial", afirmou Mano, na noite de quarta, já pensando na sequência da temporada.

Na quarta-feira que vem, o time mineiro vai enfrentar o Palmeiras, em São Paulo, no jogo de ida da semifinal da Copa do Brasil. "Temos um dia a mais (para o jogo da Copa do Brasil), porque o jogo contra o Sport será no sábado, e poderemos fazer uma boa recuperação para quarta-feira, na Arena do Palmeiras", declarou.

Mano disse não conhecer em profundidade a condição física de Arrascaeta, mas confia em sua escalação. "Tínhamos a obrigação de fazer com que o jogador se apresentasse para que a seleção do país dele fizesse a avaliação por si só. Acho que foram muito coerentes, muito sensíveis. Não era um momento de decisão para o Uruguai, é um jogo amistoso (contra o México, na sexta). Os médicos deles conversaram com o nosso, o jogador já está em Belo Horizonte, e tem grandes chances de estar em campo na quarta-feira."

Em relação ao desempenho do Cruzeiro no Engenhão, Mano encarou o empate como um resultado justo. "Não pôde ser uma vitória porque a gente não mereceu vencer. Foi um jogo duro, foi um jogo que esperávamos essa dureza mesmo. Um campo muito difícil, com condições difíceis. Sofremos um pouco porque acho que entramos desatentos na primeira parte até sofrer o gol."

O técnico afirmou que as mudanças no segundo tempo, incluindo a saída de Thiago Neves, já estavam programadas. "Voltamos do intervalo e fiz a substituição do Edilson por causa do cartão amarelo. Estava prevista a saída de Thiago para 70 minutos para não correr nenhum risco. A escolha por um volante foi porque estávamos sofrendo dos lados, com os laterais, tentei fazer um 4-1-4-1, acho que não funcionou muito bem pelo lado direito. Sofremos com o Marcinho. Acho que marcamos mal pelo lado esquerdo na última parte e o Fábio fez grandes defesas. É o momento, vamos levar um ponto", disse o técnico, conformado.

Com o resultado, o time mineiro soma 32 pontos e ocupa a sétima colocação da tabela, na cola do G6, o grupo que garante vaga na próxima edição da Copa Libertadores.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.