Mano diz que Corinthians pode ficar tranquilo com 1 a 0

O técnico Mano Menezes não escondeu a satisfação pela vitória por 1 a 0 do Corinthians sobre o Fluminense na noite desta quarta-feira, no Pacaembu, pelo jogo de ida das quartas de final da Copa do Brasil. Apesar de deixar claro que gostaria de uma vantagem maior para a partida de volta, no Maracanã, o treinador preferiu ressaltar o fato de sair na frente no confronto. Para Mano, a vitória simples foi suficiente para deixar os corintianos com a "consciência tranquila".

FÁBIO HECICO, Agencia Estado

14 de maio de 2009 | 00h45

"Nós saímos com a nossa consciência tranquila do jogo, fizemos aquilo que nos propomos a fazer, só não conseguimos fazer uma vantagem maior", afirmou o comandante corintiano. "Acho nós fizemos o nosso melhor. No primeiro tempo principalmente", completou Mano, que viu o Corinthians abrir o placar logo aos 11 minutos, com o gol de Dentinho. Depois, a equipe até teve chances de ampliar, mas parou por diversas vezes na boa atuação do goleiro Fernando Henrique.

Mano disse ainda que a postura dos times na partida foi exatamente o que ele esperava. Justamente por isso, rechaçou a ideia de que o Corinthians entrou em campo com o objetivo principal de não sofrer gols. "Eu não acho mais importante do que abrir uma vantagem você não tomar gol. Mas nós trabalhamos para conseguir a vantagem maior e não conseguimos, e daí passa a ser extremamente importante não tomar gol", valorizou o treinador.

Para o próximo compromisso do Corinthians, válido pelo Campeonato Brasileiro, Mano admitiu que pensa em poupar jogadores. "Nos vamos pensar no jogo do Botafogo, conversar com os jogadores amanhã (quinta-feira), ver a questão do desgaste, e depois tomar as decisões", explicou Mano. O técnico disse que pode poupar até cinco atletas no jogo do próximo domingo, no Engenhão. Desta forma, Ronaldo tem grandes chances de não atuar.

HOMENAGEM - É histórico. Em todos os jogos, a torcida do Corinthians canta o nome de um a um de seus jogadores. Orgulhosa, agora faz questão de também gritar "Mano, Mano, Mano." O treinador caiu nas graças do torcedor e, nesta quarta-feira, viu seu trabalho reconhecido pela diretoria. O presidente Andrés Sanchez entregou uma placa ao técnico em homenagem aos seus 100 jogos dirigindo a equipe. "Gratidão eterna pelos 100 jogos. Esperamos que venham outros 100."

O técnico agradeceu a homenagem e se disse satisfeito em honrar as tradições de um clube de massa. "Uma emoção muito grande, e só chega a essa marca quem conquista bons resultados", afirmou Mano, em alta até com a cúpula do clube.

O diretor de marketing Luiz Paulo Rosenberg estava com camisa que também traz homenagem ao técnico: "Sou mano do Mano", é a frase do peito, com o rosto e o autógrafo do técnico caricaturado nas costas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.