Gonzalo Fuentes/Reuters
Gonzalo Fuentes/Reuters

Mano diz que derrotas não mudam o planejamento da seleção brasileira

'Não vou mudar a estratégia de chamar jovens jogadores', avisa o técnico após derrota

AE, Agência Estado

09 de fevereiro de 2011 | 21h29

SÃO PAULO - A derrota para a França nesta quarta-feira, no Stade de France, a segunda seguida para seleções de alto calibre, não muda o planejamento de Mano Menezes para o restante da preparação visando a Copa do Mundo de 2014. De acordo com o treinador brasileiro, não serão estes tropeços que lhe farão trocar a política de testar jovens jogadores pela convocação de medalhões.

"Não vou mudar a estratégia de chamar jovens jogadores. Sabemos que nos primeiros momentos corremos riscos. Seria mais fácil recorrer a Kaká ou Ronaldinho, mas não trabalhamos para agora, mas para o futuro, e não tenho tanta certeza do futuro destes jogadores para 2014", assegurou o treinador, que vinha de uma derrota por 1 a 0 para a Argentina, em novembro de 2010. Kaká terá 32 anos na Copa de 2014, Ronaldinho já terá feito 34 anos.

Para Mano Menezes, derrotas como a desta quarta-feira, potencializada pela dificuldade de jogar com um jogador a menos, ajudam a amadurecer o time. "Não podemos, na primeira dificuldade, abandonar o que não está bem. Os jogadores têm que passar por este processo, por situações difíceis".

O treinador mostrou-se incomodado com a derrota, mas usou, indiretamente, o fracasso da Era Dunga, como argumento para se defender das críticas.

"Derrota é ruim sempre. Estamos acostumados com a seleção não ficar perdendo. Mas estatística boa nós já tivemos e não conseguimos chegar onde queríamos", comentou, observando que o revés serve de lição: "Não vamos chegar a lugar nenhum com derrotas, mas temos que entender como elas aconteceram".

Diferentemente do goleiro Julio Cesar e do zagueiro David Luiz, Mano considerou a expulsão de Hernanes "justa". Para o treinador, a entrada foi "desproporcional" em se tratando de um jogo amistoso. O meio-campista da Lazio garantiu que não teve intenção de acertar Benzema. No Twitter, o lance é comparado com o chute que deu a Anderson Silva a vitória sobre Vitor Belfort no UFC 126, no sábado passado.

Veja também:

blog Blog do Antero - Brasil e Portugal sofrem derrotas instrutivas em amistosos

linkSeleção brasileira mantém escrita e perde para algoz França por 1 a 0

linkJulio Cesar e David Luiz criticam decisão de árbitro em expulsar Hernanes

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.