Felipe Dana/AP
Felipe Dana/AP

Mano diz que evitou ampliar lista e exalta atuação contra a China

Luis Fabiano será a única surpresa da seleção nos jogos contr a Argentina pelo Superclássico

Almir Leite e Paulo Galdieri, O Estado de S. Paulo

11 de setembro de 2012 | 08h41

RECIFE - A surpresa de Mano Menezes para os dois jogos da seleção brasileira contra a Argentina, dia 19, em Goiânia, e 3 de outubro, em Resistência, interior do país vizinho, foi a convocação de Luis Fabiano. O atacante do São Paulo não era chamado desde a eliminação do Brasil na Copa do Mundo de 2010 e foi chamado em lista anunciada pelo comandante logo após a vitória por 8 a 0 sobre a China, na última segunda-feira à noite, em Recife. "Tentei não ampliar tanto a lista dos jogadores já convocados e com base no equilíbrio. A intenção é manter essa lista para os dois jogos", comentou Mano.

O treinador disse que não convocou Fred, do Fluminense, e preferiu Luis Fabiano por questão de estilo de jogo e que nada teve a ver com as reclamações do atacante do Fluminense sobre não ser convocado recentemente.

A seleção fará pelo menos mais dois amistosos este ano. No dia 16 de outubro, o adversário será o Japão, na Polônia. Até a estreia na Copa das Confederações, a seleção poderá fazer oito amistosos. Mano pretende, a partir de agora, reduzir significativamente as experiências. Ele está convicto de que já tem a maioria do grupo com o qual pretende contar para a competição do ano que vem, e ainda para a Copa do Mundo.

"Temos de ter a equipe pronta para a Copa das Confederações. É o prazo limite para a seleção estar pronta para a Copa do Mundo. Vamos direcionar para um número menor de convocados", disse o treinador.

No entanto, a partir de agora, jogadores experientes, tantos os que já testou como alguns que ainda não convocou, deverão ter mais oportunidades. "Todos sabem que o nosso objetivo é o melhor possível. Se eles (os jogadores mais velhos) merecerem e a seleção precisar, serão chamados."

''RAIVA GOSTOSA'' 

Já ao falar da goleada sobre a China, Mano exibiu satisfação com a atuação da seleção brasileira, apesar da fragilidade evidente do adversário no confronto realizado no Estádio Arruda.

"A gente tem sofrido algumas justas críticas nos últimos dias e a gente sabe que tem condição de fazer melhor. Hoje (segunda) fizemos isso", disse Mano, antes de admitir que as vaias e cobranças sofridas no amistoso da última sexta-feira, no Morumbi, contra a África do Sul, acabaram surtindo um efeito positivo.

"A seleção brasileira trouxe uma raiva gostosa para esse jogo no Recife. É preciso ter isso para se tornar uma equipe vencedora. Tínhamos de transformar isso em energia, porque às vezes você acaba transferindo isso para os outros. Mas conseguimos responder com pouca fala e bastante futebol", completou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.