Tasso Marcelo/AE
Tasso Marcelo/AE

Mano diz que Kaká ficou fora da lista por opção técnica

Técnico deixa transparecer que não tem gostado das atuações do meia no Real Madrid

AE, Agência Estado

14 de fevereiro de 2012 | 12h03

RIO - A convocação da seleção brasileira para o amistoso diante da Bósnia, no dia 28 de fevereiro, não teve grandes surpresas. Com a lista divulgada nesta terça-feira, o técnico Mano Menezes apostou na mesma base que vinha sendo chamada nas últimas partidas de 2011, mas uma ausência chamou a atenção: o meia Kaká, que, desta forma, fica de fora da partida que será realizada em St. Gallen, na Suíça.

 

Kaká havia sido chamado para os últimos dois amistosos do ano passado, diante de Egito e Gabão, quando havia acabado de se recuperar de seguidas lesões. Após uma sequência de partidas pelo Real Madrid, no entanto, o jogador parece não ter agradado Mano, que indicou que sua ausência da convocação se deu por uma opção técnica.

"Não tenho explicação para todo jogador que não faz parte da convocação, não deve ser essa a linha de trabalho. Tenho respeito pelo Kaká, mas é uma questão de opinião. São questões de avaliações. Talvez a sequência dele no Real Madrid tenha mostrado que ele não fez algo que eu queria ver", declarou o treinador.

Se Kaká está fora, outro jogador que não atravessa boa fase técnica foi lembrado por Mano Menezes: Ronaldinho Gaúcho. O técnico brasileiro admitiu que o meia não passa por seu melhor momento, mas apontou que a convocação faz parte de um projeto, que visa objetivos a longo prazo.

"Quando comecei a convocar o Ronaldo me perguntaram se era algo temporário e eu disse que era um projeto. Estou me mantendo coerente a isso", afirmou. "Sobre o momento dele, fui muito cobrado sobre a manutenção de uma base, sobre repetição, e sempre que tive a oportunidade disse que a próxima etapa do trabalho seria em cima disso. Então não posso ficar mudando a todo momento com base em um momento ruim, ou de atuações não tão boas. As coisas serão mais estáveis para que eu possa fazer esta repetição", concluiu.

Mano explicou que a manutenção de uma base é importante para que a seleção tenha entrosamento, já que terá apenas um dia para treinamento, na véspera do confronto diante dos bósnios. "Não teremos tempo para treinar nesta passagem. Vamos ter apenas um treinamento na véspera do jogo. A Bósnia é um adversário qualificado, por detalhes não conseguiu a vaga na Eurocopa, mas tem jogadores de qualidade e esperamos um jogo dentro dos padrões de dificuldade que a gente gosta para encontrar soluções", comentou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.