Mano exalta liderança e boa fase de Ronaldinho Gaúcho

Nove meses após sua última participação na seleção brasileira, na derrota por 1 a 0 para a Argentina, em amistoso disputado no Catar, o meia Ronaldinho Gaúcho está de volta. Ele foi convocado por Mano Menezes para o amistoso diante de Gana, no dia 5 de setembro, em Londres. A liderança em campo e a experiência de já ter conquistado uma Copa do Mundo em 2002, além da grande fase que vive no Flamengo, foram apontadas pelo treinador como os fatores responsáveis pelo retorno do astro.

AE, Agência Estado

18 de agosto de 2011 | 12h25

"O Ronaldinho é campeão do mundo com a seleção e acredito que, depois do retorno ao Brasil, já passou o tempo necessário para ele render muito bem e ser um dos melhores do País na temporada. Vem jogando com muita frequência, o que mostra sua evolução física. Tecnicamente, a gente não tinha questionamento. Ele tem conseguido esta liderança que é uma das coisas que precisamos na seleção. Esperamos que ele possa ser na seleção o que é no Flamengo", declarou Mano.

Ronaldinho Gaúcho é apontado como o principal destaque do Campeonato Brasileiro deste ano, no qual já anotou nove gols. Ele aparece como esperança para tirar a seleção da má fase atual, após a eliminação precoce na Copa América e das derrotas diante de rivais como França, Argentina e Alemanha. De acordo com Mano, no entanto, a convocação do meia do Flamengo faz parte do planejamento do trabalho, já pensando na disputa da Copa do Mundo de 2014, que acontecerá no Brasil.

Mano admitiu que conta com Ronaldinho Gaúcho para o Mundial de 2014, quando o astro já terá 34 anos. "Ele é um jogador que reúne a maior condição de chegar à Copa, porque é um jogador inteiro, que não tem histórico de lesões. Muito pelo contrário. Vejo ele como possibilidade de referência de modo definitivo, de assumir a responsabilidade de comandar jogadores mais jovens que estão chegando", avaliou o treinador.

OUTRAS NOVIDADES - A presença de Ronaldinho Gaúcho foi a principal surpresa na lista de convocados da seleção brasileira, mas não foi a única. Além dele, o goleiro Fábio, o lateral Marcelo e os atacantes Hulk e Leandro Damião voltaram a ser chamados por Mano, enquanto o lateral Danilo, do Santos, recebeu sua primeira oportunidade no time principal do Brasil.

A volta de Marcelo surpreende não pelo nível técnico, mas por ele supostamente ter forçado uma dispensa para retornar ao Real Madrid quando foi chamado para o amistoso contra a Escócia, realizado em março. Agora, o lateral aparece como alternativa para o lugar do criticado André Santos, que ficou de fora dessa lista. "A ausência dele (André Santos) é tão importante quanto a presença. Ele vinha sendo convocado por todo esse período e agora minhas escolhas são o Marcelo e o Adriano. Simples assim", limitou-se a explicar Mano.

Danilo, que vem se destacando com a camisa do Santos e da seleção no Mundial Sub-20 também aparece como uma aposta do treinador, substituindo o contundido Maicon. "O Danilo vem se destacando com uma boa versatilidade, como lateral e volante. Muitas vezes vamos inscrever jogadores para torneios e o numero é restrito, então é bom ter jogadores com essa versatilidade", explicou Mano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.