Vinnicius Silva/Cruzeiro
Vinnicius Silva/Cruzeiro

Mano exalta título com 'muita justiça' e destaca superioridade tática do Cruzeiro

Técnico confirmou que sua aposta no time era feita em cima da melhor campanha e por conhecer muito bem todo o seu elenco

Estadão Conteúdo

08 de abril de 2018 | 20h26

Durante toda a semana, o técnico Mano Menezes manifestou sua confiança na conquista do título mineiro neste domingo, apesar da derrota para o Atlético no jogo de ida da final por 3 a 1, no estádio Independência, há uma semana em Belo Horizonte. Agora campeão por ter melhor campanha, após ganhar por 2 a 0 no Mineirão diante de quase 50 mil torcedores, o treinador desabafou e também não perdeu a chance para bater o pé em suas convicções táticas para calar os seus críticos mais ferrenhos.

+ TEMPO REAL - Confira os lances da partida

+ Cruzeiro faz 2 a 0, reverte vantagem sobre o Atlético-MG e volta a ser campeão

+ Leia mais notícias sobre o Cruzeiro

"Tinha certeza de que seria um jogo difícil, porque não é fácil ser campeão mineiro com o Cruzeiro. Mas conseguimos atingir nosso objetivo. Conquistamos mais um título e com muita justiça", afirmou Mano, na abertura de sua entrevista coletiva. Ele confirmou que sua aposta no time era feita em cima da melhor campanha e por conhecer muito bem todo o seu elenco.

Tanto que após a derrota inicial ele optou por atuar sem um atacante especialista, dando mais liberdade para os meias e adiantando a marcação, não dando espaço para os atleticanos jogarem com a bola nos pés.

"Eles (adversários) ficaram lá atrás, sem alternativa e sem saída de bola. A nossa questão no jogo foi tática e focamos na estratégia e no posicionamento, mesmo porque o Atlético fez um bom jogo lá no Independência. Mas aqui, no Mineirão, nós diminuímos o espaço e empurramos eles para o campo deles. Embora o time deles tenha muita qualidade de jogo, sofre muito quando é atacado", justificou Mano sobre suas opções.

Ele deixou Rafael Sóbis, que não vinha de uma sequência, girando na frente da defesa, abrindo espaços para as chegadas de Thiago Neves e Arrascaeta. Os dois marcaram os gols do título.

Mano Menezes também considerou importante a decisão da delegação passar no meio da torcida antes de entrar para os vestiários do Mineirão. "Esta foi uma escolha acertada porque nós queríamos que os jogadores sentissem o ânimo da torcida e fossem para campo dentro do clima de decisão. Era para começar o jogo com intensidade. Deu certo", explicou Mano, lembrando que o primeiro gol foi marcado por Arrascaeta logo aos três minutos, abrindo o caminho para o título.

Mas agora o técnico cruzeirense quer ganhar tranquilidade para pensar com calma no planejamento para o Campeonato Brasileiro, que começa no próximo fim de semana. O Cruzeiro estreia contra o Grêmio, campeão gaúcho, no sábado, às 16 horas, dentro do Mineirão. Além disso, o campeão mineiro vai disputar mais duas competições: a Copa Libertadores, já em andamento, e a Copa do Brasil, na qual entrará direto nas oitavas de final. "Nós vivemos uma semana tensa, por causa do resultado negativo inicial. Agora temos que seguir em frente, atrás de outras conquistas", projetou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.