Mano exige concentração total de corintianos para o clássico

'Conseguiremos o melhor juntos. Vamos treinar, repousar e nos alimentar melhor', explica o técnico

Fábio Hecico, O Estado de S. Paulo

27 de fevereiro de 2008 | 19h13

Ir à padaria, ao banco ou ao shopping, levar os filhos à escola, comer num bom restaurante ou apenas fazer um lanche rápido. Estas atividades do dia-a-dia só voltarão a fazer parte do roteiro dos jogadores do Corinthians na segunda-feira. Mano Menezes estabeleceu, desde esta quarta-feira, regime de concentração máxima para o clássico de domingo, diante do Palmeiras, considerada uma das grandes decisões do ano. O técnico não quer ver seus jogadores desconcentrados ou com outro foco na cabeça que não seja a partida. Veja também: Procurador encaminha denúncia contra Dualib nesta quinta Corinthians vai ter 'atenção especial' a Valdívia "Vida de jogador é muito tumultuada. E aqui (em São Paulo) a cabeça dele sai da concentração do jogo", afirma o treinador, que preferiu levar o time para um retiro em Atibaia. E com recomendações: usar pouco o celular e o laptop e mentalizar os pontos fortes e fracos do rival. "Conseguiremos tudo do melhor juntos. Vamos treinar, repousar e nos alimentar melhor. E com estes três itens bem fortes, teremos um ganho grande." Entrevistas só as habituais, após os treinos. Quem desobedecer, além de levar bronca do treinador, também sofrerá no bolso, com a cobrança da caixinha dos jogadores, fiscalizada pelo capitão William. "Precisaremos estar bem emocionalmente durante todo o jogo e a concentração ajudará. Se o time se empolgar, deixará escapar chance de ouro. Se entrar abatido, não demonstrará capacidade para buscar uma reação", observa Mano, pedindo respeito e foco no jogo durante os 90 minutos. A recomendação e evitar transparecer clima de euforia. "Contra o São Paulo, existia desconfiança na equipe. Hoje a confiança é maior, nossa trajetória avaliza isso. Mas..." Será a segunda vez que Mano vai tirar o time da capital. Há 20 dias, ficou uma semana em Itu e trouxe 4 pontos na bagagem: empate com o Barueri (1 a 1) e vitória frente o Ituano (2 a 1). Alguns preparativos extras para o clássico também serão ensaiados na cidade que fica a 60 quilômetros de São Paulo. Todos serão secretos, sem presença da imprensa e com ordem de que ninguém os revele. A marcação especial sobre Valdivia terá ênfase. O treinador ainda está magoado com declarações do chileno no ano passado. O meia teria acusado o treinador de ter mandado os jogadores do Grêmio baterem nele. Polêmica com o rival? "Não tenho de falar nada sobre isso, apenas preparar bem o time para o clássico", diz. "E cabe a nós marcá-lo bem. Marcar jogando", segue. "E espero que todos façam seu trabalho bem no clássico, menos o Valdivia." SEM MISTÉRIOApesar de Mano jurar que não definiu os 11 titulares, o Corinthians não deve ter surpresas na escalação para domingo. O treinador alvinegro já confirmou a volta de Herrera (cumpriu suspensão) na vaga de Acosta. Também disse contar com a estréia de Diogo Rincón. O jogador até já faz pressão para ser titular. "Vim para cá para jogar. Estou preparado e bem fisicamente. Quero jogar." A fórmula será mantida: o seguro 3-5-2. Resta saber quem será o segundo volante: Bóvio ou Perdigão. E se Rincón joga desde o início. "Não sou retranqueiro, vou escalar quatro atacantes", brinca Mano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.