Washington Alves/Cruzeiro
Washington Alves/Cruzeiro

Mano faz mistério, mas garante Cruzeiro com força máxima para sábado

"Vamos colocar em campo a melhor equipe que pudermos colocar. Estão quase todos à disposição", disse o treinador

Estadão Conteúdo

16 de março de 2018 | 13h30

O técnico Mano Menezes optou pelo mistério e não divulgou a escalação do Cruzeiro para encarar o Patrocinense, sábado, no Mineirão. Ele fechou à imprensa a última atividade da equipe antes da partida, nesta sexta, e confirmou apenas que levará força máxima para o confronto válido pelas quartas de final do Campeonato Mineiro.

+ Confira a classificação do Campeonato Mineiro

"Vamos colocar em campo a melhor equipe que pudermos colocar. Estão quase todos à disposição e quase todos têm condição de iniciar a partida. E o Arrascaeta ainda estará aí antes da viagem (para a seleção uruguaia). Será jogo único, valendo vaga nas semifinais e vamos encarar com a maior seriedade possível", declarou o treinador.

Assim, Mano descartou a possibilidade de seguir com o rodízio de jogadores, que vinha implementando no Mineiro. "Fizemos o rodízio para agora ter todo mundo à disposição e colocar a força máxima em cada jogo. Queremos passar para ter uma sequência mais pesada e temos de estar preparados. Primeiro temos de pensar no Patrocinense."

Com o suspense, o treinador manteve diversas dúvidas na escalação para sábado. Na defesa, Leo está suspenso e dará lugar a Dedé ou Digão. Na lateral direita, Ezequiel e Lucas Romero brigam pela vaga de Edílson, lesionado. Já no setor ofensivo, permanece a dúvida sobre a possibilidade de Arrascaeta e Thiago Neves atuarem juntos. Se um deles ficar no banco, Raniel ou Rafael Sóbis substituirá o também contundido Fred.

Líder disparado da primeira fase do Mineiro, o Cruzeiro entra com todo o favoritismo para as quartas de final. Mas, até por se tratar de um jogo único, Mano pediu bastante atenção a seus comandados.

"Buscamos a vantagem de jogar o jogo único em nossa casa, o que é algo extremamente positivo. Temos objetivo de ser campeão e quem quer ser campeão tem de passar pelas quartas de final, com todos os riscos que o jogo único pode trazer. Temos de saber conviver com isso, fazer um bom jogo. A obrigação nossa é passar, sem aumentar a pressão de nada, a não ser o que é o normal do campeonato", afirmou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.