José Patrício/Estadão - 18/2/14
José Patrício/Estadão - 18/2/14

Mano ganha mais força para reformular Corinthians e estreita laço com Gobbi

Após eliminação, técnico passa a discutir contratações diretamente com o presidente, que acumula cargo de diretor de futebol

Vítor Marques , O Estado de S.Paulo

22 de março de 2014 | 05h00

SÃO PAULO - A reformulação pela qual passa o Corinthians fortaleceu ainda mais Mano Menezes. O técnico discute contratações diretamente com o presidente Mário Gobbi, que acumula função de diretor de futebol. A crise depois da eliminação no Paulistão só aumentou o poder do treinador dentro do clube. Logo após o empate por 0 a 0, em Penápolis, Mano disse que foi contratado para buscar alternativas e oxigenar o elenco.

"Ninguém queria meter a mão na massa para não ficar com o ônus. Eu cheguei para isto", disse o treinador domingo. Na segunda, o diretor de futebol Ronaldo Ximenes se afastou do cargo alegando motivos de saúde. Oficialmente o clube alega que Ximenes ainda é o diretor e que vai retornar ao cargo. No dia que Ximenes se afastou, Gobbi assumiu o futebol. Foi ao treino e viajou com o time para a Feira de Santana.

Nestes três dias de viagem, Gobbi e Mano falaram sobre contratações e da situação situação financeira delicada que o clube passa. É preciso encontrar parceiros e investidores para reforçar o time. O discurso de Mano e Gobbi passou a ser o mesmo."Quando se tem R$ 60 milhões para contratar é mais fácil", falou o treinador na quarta-feira à noite, logo após a vitória por 2 a 0 sobre o Bahia de Feira.  No dia seguinte, foi a vez de Gobbi falar: "Temos dinheiro mas está investido em jogadores. O mercado mudou, não nos classificamos, perdemos receitas, mandos e tivemos que nos adaptar."

Vários dirigentes e conselheiros do clube que antes apoiavam Gobbi mudaram de lado. Dizem que o presidente está isolado. E que ele se fia em Mano para comandar o clube. Mesmo que Ximenes retorne às suas atividades, esses cartolas garantem que será Mano quem dará as cartas e as repassará para Edu. No clube, Ximenes é visto como um "homem sem pulso" e que não entende de futebol. Ximenes não atendeu às ligações da reportagem.

A 'parceria' entre Gobbi e Mano funcionou na primeira passagem de Mano, quando Gobbi foi diretor de futebol de fato - Andrés Sanchez era o presidente. Por isto Gobbi foi decisivo no retorno de Mano ao Corinthians. Outros dirigentes importantes, como os ex-diretores de futebol, Roberto de Andrade e Duílio Monteiro de Alves, deixaram o dia a dia do Corinthians. A dupla era a favor da contratação de Oswaldo de Oliveira, hoje no Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.