Sergio Castro/Estadão
Sergio Castro/Estadão

Mano lamenta expulsão e chances desperdiçadas pelo Cruzeiro

Técnico lamenta que equipe não tenha aproveitado oportunidades

Estadão Conteúdo

22 Novembro 2015 | 10h41

Mano Menezes deixou o gramado do Allianz Parque mais cedo na noite de sábado. Insatisfeito com uma decisão da arbitragem, reclamou e acabou sendo expulso. Mas não foi apenas a atuação do juiz que incomodou o treinador. Mano criticou a série de chances desperdiçadas pelo Cruzeiro no empate por 1 a 1 com o Palmeiras, em São Paulo.

"Fizemos um primeiro tempo muito bom. Fizemos 1 a 0 e deveríamos ter ampliado, pela imposição em campo. Não aproveitamos para fazer um placar maior e voltamos apáticos no segundo tempo", reclamou o treinador, que praticamente viu encerrar as chances de o Cruzeiro brigar por uma vaga no G4.

"Fizemos um jogo muito ruim para o padrão que estávamos fazendo. A equipe deixou de jogar. E quando você deixa de jogar, está sempre sujeito a uma bola erguida na área, como acabamos tomando o gol de empate", lamentou Mano.

Ele também se irritou com a decisão do juiz de não liberar o retorno do atacante Willian ao gramado, após sofrer falta de Leandro Almeida. No momento em que o Cruzeiro contava com apenas 10 em campo, o Palmeiras aproveitou para buscar o empate.

"O Leandro Almeida em momento algum foi na bola. Foi visivelmente com uma joelhada para atingir as costas do Willian, como o estádio inteiro viu. Ele saiu para ser atendido fora de campo. O árbitro viu que ele estava pronto para voltar e não quis autorizar. Ele não quis. Eu disse a ele que ele nos prejudicou duas vezes. Já devia ter dado o cartão vermelho e depois não deixou o jogador voltar", reclamou.

Mais conteúdo sobre:
futebol Cruzeiro Mano Menezes

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.