Mano Menezes: 'Agora é jogar tudo contra o Noroeste'

Técnico pede para jogadores do Corinthians esquecerem o jogo do Santos e se concentrarem no rival de Bauru

André Rigue, estadao.com.br

04 de abril de 2008 | 11h39

A vitória sobre o Fortaleza já ficou para trás no pensamento do técnico Mano Menezes. O grande objetivo do Corinthians, agora, é conseguir a classificação no Campeonato Paulista. Para isso, o clube terá de vencer o Noroeste neste domingo e torcer para a Ponte Preta não ganhar do Santos, na Vila Belmiro.Veja também: De roxo, Corinthians derrota Fortaleza no Morumbi Diogo Rincón desabafa e diz que precisava marcar seu 1.º gol"Não temos outra coisa a não ser se preparar o máximo possível para enfrentar o Noroeste", afirma Mano. "O time deve sofrer com a ansiedade para saber dos outros resultados, mas temos de pensar apenas na gente. Nenhum fator externo pode interferir no rendimento."Contra o Noroeste, o Corinthians não terá Diogo Rincón, um dos destaques na classificação na Copa do Brasil. "O Lulinha entrou no decorrer do jogo contra o Fortaleza. Já fiz essa alteração pensando no duelo contra o Noroeste. No entanto, afirmo que o time não mudará sua característica [de marcação]", explica Mano.Mano também disse que o técnico Leão, apesar de escalar um time misto contra a Ponte, vai jogar para vencer. "Não quero que o Santos faça a parte do Corinthians. Todos que entrarem na última rodada, independente da equipe, terão espírito vencedor e, acima de tudo, profissionalismo."PICHAÇÃOUm dos muros do Parque São Jorge amanheceu pichado com os dizeres "O jeito é mudar de clube" na manhã desta sexta, com outros códigos e um símbolo do Santos, numa provável provocação à necessidade do Corinthians precisar de um tropeço da Ponte Preta, que enfrenta o time santista no domingo, para se classificar às semifinais do Paulistão. O local será pintado para cobrir a pichação, de acordo com a administração do clube. 

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansMano MenezesPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.