Mano Menezes aprova atitude do Corinthians diante do Mogi

Treinador elogia as chances de gol criadas pelo time alvinegro

O Estado de S. Paulo

10 de fevereiro de 2014 | 05h00

SÃO PAULO - O técnico Mano Menezes afirmou ter gostado da postura do Corinthians no segundo tempo, apesar do empate por 1 a 1 em Mogi Mirim. Ele só reprovou o número de chances perdidas. Mas, ainda assim, saiu satisfeito com o que viu, às vésperas do clássico contra o Palmeiras.

"Primeiro, tínhamos de estancar a derrotas. Esse era o objetivo, não nos acomodamos com o 1 a 1, tivemos postura. Lógico que queremos mais e eu entendo que o torcedor às vezes fica impaciente", afirmou.

No intervalo do jogo, houve alguns protestos por parte da torcida contra o time e a diretoria corintiana, com manifestações diretas contra o presidente Mário Gobbi.

Mano reiterou que a equipe está em evolução. Segundo ele, seria pior se o time não criasse chances de gols. Na visão do técnico, o Corinthians poderia ter saído de Mogi com os três pontos. "Os gols perdidos fizeram com que saíssemos com o empate, esse aspecto é positivo."

O empate, entretanto, não tira a pressão e a responsabilidade do Corinthians no clássico de domingo contra o Palmeiras. Para voltar à vencer, Mano disse que pretende utilizar todos os jogadores que estarão disponíveis. Até mesmo Jadson.

“Ele está um pouco abaixo fisicamente, mas é um jogo grande, importante, vamos usar o que temos de melhor, é assim que entendemos o clássico.” Jadson, se a documentação estiver regularizada, deve ser apresentado na quarta-feira.

Renato Augusto, que ainda não estreou em 2014, também pode ser utilizado no clássico. Há dúvida é se ele tem gás para começar jogando, assim como Jadson. Emerson Sheik levou o terceiro amarelo e está fora. Mano poderia reconduzir Guerrero ao time - neste domingo o peruano iniciou o jogo no banco de reservas.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.