Sergio Perez/Reuters
Sergio Perez/Reuters

Mano Menezes diz que deve chamar Ronaldinho Gaúcho

Técnico acredita que jogador está motivado e merece sua confiança para retonar à seleção

AE, Agência Estado

19 de outubro de 2010 | 10h17

O técnico Mano Menezes revelou que deve convocar Ronaldinho Gaúcho para defender a seleção brasileira no amistoso contra a Argentina, em novembro, em Doha. "Pode jogar em 17 de novembro contra a Argentina em Doha, inclusive porque existe a necessidade. Nos ajudaria como um meia entre [Alexandre] Pato e Robinho e penso que Ronaldinho está em condições de fazê-lo e que mereça a confiança", afirmou ao jornal italiano Corriere dello Sport.

Veja também:

linkBrasil, Argentina e Uruguai serão os cabeças de chave da Copa America

Mano, que permaneceu na Europa após a disputa do amistoso entre Brasil e Ucrânia, revelou que conversou com Ronaldinho no domingo em Milanello, o centro de treinamentos do Milan, e fez elogios ao jogador. "O encontrei muito bem, motivado e certamente em forma em todos os pontos de vista", expressou.

O treinador da seleção brasileira assistiu no sábado a vitória do Milan por 3 a 1 sobre o Chievo, com dois gols de Alexandre Pato e um de Robinho. Nesta terça-feira, ele acompanhará o jogo entre Real Madrid e Milan, em Madri. E na quarta-feira vai ver o confronto entre Inter de Milão e Tottenham.

Além de Ronaldinho Gaúcho, outra novidade da próxima convocação de Mano Menezes pode ser Hernanes, atualmente na Lazio. O meio-campista teve o seu desempenho no futebol italiano destacado.

"Excelente, realmente. É incrível como este jogador tem crescido rapidamente nos últimos anos. Certamente a experiência italiana, embora ainda muito curta, vai finalmente consagrar Hernanes também na cena internacional", afirmou. "É muito profissional, está ao serviço da equipe. Ele tem a capacidade de fazer mais de uma função e tem uma personalidade forte", completou Mano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.