Washington Alves / Cruzeiro
Washington Alves / Cruzeiro

Mano Menezes diz que maratona de jogos atrapalhou desempenho do Cruzeiro

Apesar do empate com o América-MG, treinador disse ter ficado satisfeito com a postura da equipe

Estadao Conteudo

17 de abril de 2017 | 08h34

O técnico Mano Menezes justificou que a maratona de jogos impediu um melhor desempenho do Cruzeiro no empate por 1 a 1 com o América-MG, neste domingo, no estádio Independência, em Belo Horizonte, no jogo de ida da semifinal do Campeonato Mineiro.

"É impossível jogar um jogo com a intensidade que tivemos na quinta-feira à noite e vir aqui, contra um adversário que passou a semana inteira treinando e descansando, igualar o jogo na parte física durante os 90 minutos", comentou o treinador.

O Cruzeiro derrotou o São Paulo por 2 a 0 na última quinta-feira, no estádio do Morumbi, na capital paulista, no jogo de ida da quarta fase da Copa do Brasil. Por isso, o treinador do Cruzeiro disse ter gostado do comportamento contra o América-MG.

"Fico muito feliz com o resultado e a postura da equipe, que soube enfrentar essa dificuldade dentro de jogo. Saiu atrás, não se desorganizou para buscar o gol de empate. Os jogadores estão de parabéns pela dedicação e pelo comprometimento mais uma vez. Não posso exigir uma vírgula a mais do que eles fizeram hoje (domingo)", avaliou.

O resultado também foi visto com bons olhos pelo treinador. Com o empate por 1 a 1 contra o América-MG, o Cruzeiro tem a vantagem de poder empatar o duelo de volta, marcado para domingo, no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte.

"A gente veio para esse primeiro jogo e a situação que se coloca é que você trabalha para levar a condição de decidir na sua casa, na volta. Ao meu ver, não abrimos uma vantagem maior, mas, seguimos com a vantagem que iniciamos a disputa, e vamos jogar no mínimo por um resultado igual na nossa casa. Tenho certeza absoluta que poderemos produzir mais como equipe no segundo jogo", projetou Mano Menezes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.