Wilton Junior/AE
Wilton Junior/AE

Mano Menezes ignora apelo santista ao chamar Ganso e Neymar

'Não tenho necessidade de não convocar jogadores de nenhum time', avisa o técnico

Silvio Barsetti, O Estado de S. Paulo

25 de julho de 2011 | 11h29

RIO - O técnico Mano Menezes não levou em consideração o desejo santista e convocou o meia Paulo Henrique Ganso e o atacante Neymar para o amistoso diante da Alemanha, no dia 10 de agosto, em Stuttgart. O Santos havia pedido informalmente, através de seu técnico, Muricy Ramalho, que os jogadores não fossem chamados, já que terá o clássico diante do Corinthians no mesmo dia da partida da seleção brasileira.

Em entrevista coletiva nesta segunda-feira, no Rio, Mano lembrou que o clássico paulista, válido ainda pela quinta rodada do Campeonato Brasileiro, deveria ter acontecido no dia 19 de junho, mas acabou adiado a pedido do próprio Santos, que na época disputava a Libertadores. Agora, a diretoria santista cogita pedir novo adiamento do jogo com o Corinthians, por causa da convocação da seleção.

"Nunca reclamei de convocação (quando era técnico de clube) e sei que jogadores têm como objetivo estar na seleção, assim como os técnicos. Em relação a adiar jogos, não é da minha área. Cada um precisa fazer sua parte. Esse jogo que acontecerá agora (entre Santos e Corinthians) já estava em outro lugar na tabela, quando o Santos estava jogando a Libertadores e nem tinha relação com a seleção. Sei que a CBF fará de tudo para fazer o melhor possível, mas existem outros 19 clubes na Série A que também precisam ser respeitados", disse Mano.

Se Ganso e Neymar garantiram suas permanências na seleção, o outro santista que participou da Copa América não foi lembrado na lista divulgada nesta segunda-feira por Mano. O meia Elano está fora do amistoso contra a Alemanha, mas o técnico negou que esta decisão tenha qualquer relação com o clássico paulista no Brasileirão.

"Não vou ficar pensando no problema dos outros. Não tenho necessidade de não convocar jogadores de nenhum time. O Elano não fez tantos jogos assim com a seleção, ele era parte de algo que queríamos para a Copa América, pela experiência. Também não tem relação com as cobranças de pênalti diante do Paraguai. É uma questão de opção", disse o treinador, lembrando que Elano perdeu um dos pênaltis nas quartas de final da Copa América, quando o Brasil foi eliminado pelo Paraguai após empate por 0 a 0 no tempo normal e na prorrogação.

No total, seis jogadores que estiveram na competição continental não foram convocados nesta segunda-feira. A decepcionante campanha da seleção, no entanto, não atingiu Ganso e Neymar, que parecem seguir com prestígio com Mano. "O que cobramos de Neymar e Ganso é proporcional à expectativa criada entorno deles. A cobrança é proporcional. Mas eles estiveram no nível que a seleção apresentou. Nem abaixo nem acima", avaliou o treinador, mantendo a aposta nos dois jovens talentos do Santos.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.