Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians
Daniel Augusto Jr./Agência Corinthians

Mano Menezes ironiza possível punição ao Corinthians no STJD

Treinador descarta que elenco seja afetado por ter recebido a notícia na véspera de decidir a vaga na semifinal da Copa do Brasil

CIRO CAMPOS, O Estado de S. Paulo

14 de outubro de 2014 | 19h14

O técnico Mano Menezes, do Corinthians, reagiu com ironia nesta terça-feira ao ser perguntado sobre a possível punição do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) à equipe com a perda de quatro pontos no Brasileirão por escalação irregular do meia Petros em jogo contra o Coritiba, no dia 3 de agosto. O treinador descartou que o elenco seja afetado por ter recebido a notícia na véspera de decidir a vaga na semifinal da Copa do Brasil e sugeriu que o clube tem sido vítima de perseguição.

"A gente está ficando acostumado a coincidentemente antes de jogos decisivos aparecer uma denúncia ou coisa do tipo. Mas estamos tranquilos, porque o clube sabe como deve fazer nessas situações", disse o treinador. Segundo o STJD, Petros rescindiu o empréstimo com o Corinthians no dia 1º de agosto e já no dia seguinte, um sábado, assinou um outro vínculo com o clube. Porém, como não se trata de dia útil, não se pode registrar novos contratos.

O meia só foi escalado no domingo porque na própria sexta-feira o Boletim Informativo Diário (BID) publicou o seu nome. O caso foi enquadrado no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que prevê a perda de três pontos, mais a pontuação conquistada na partida - os times empataram sem gols no Couto Pereira.

A equipe fez nesta terça-feira o último treino antes de viajar para Belo Horizonte, onde enfrenta nesta quarta o Atlético-MG, pela partida de volta das quartas de final da Copa do Brasil. O Corinthians ganhou a ida por 2 a 0 e pode até perder por um gol de diferença que estará classificado. Mano não revelou o time titular e as grandes dúvidas são as presenças do volante Ralf e do meia Renato Augusto, que se recuperam de problemas musculares.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.