Mano Menezes quer Flamengo focado contra São Paulo

A crise no São Paulo, adversário deste domingo, às 16 horas, no estádio Mané Garrincha, em Brasília, pela 15.ª rodada do Campeonato Brasileiro, foi assunto proibido no Flamengo nos últimos dias. A ordem partiu do técnico Mano Menezes a fim de evitar alguma declaração de alguém do grupo que pudesse soar como provocação ao adversário. Para ele, o time rubro-negro não pode se preparar para o duelo imaginando que a fase do rival seja entendida como vantagem.

AE, Agência Estado

18 de agosto de 2013 | 11h49

Ele fez esse alerta várias vezes. Disse que o São Paulo busca a reação para sair do grave momento por que passa no Brasileirão e tende a se sentir mais disposto a começar a dar a volta por cima ao enfrentar um time com o mesmo peso, como o Flamengo. No entanto, o zagueiro Wallace parece não ter seguido esta ordem e disse que ganhar do time paulista seria o mesmo que bater em bêbado.

Polêmicas à parte, Mano Menezes reiterou que falaria apenas de como pretende escalar seu time para tentar outra vitória no Brasileirão. Ele disse que o Flamengo tem amadurecido na competição e passou a ser mais respeitado nas últimas partidas.

O técnico lamentou contusão sofrida por Leonardo Moura no último jogo contra o Goiás. O lateral-direito deve ficar fora do time por três jogos, no mínimo. Ele tem sido peça importante na equipe. Para o seu lugar, o zagueiro Luiz Antonio, improvisado, será o titular.

Na zaga, Mano Menezes confirmou a permanência de Chicão, que fez o gol do time no empate com o Goiás. O zagueiro vai barrar provavelmente Wallace. "Luiz Antonio já jogou como lateral várias vezes e, por isso, foi escolhido. É um atleta experiente e, com a necessidade, pode dar conta do recado", declarou o técnico, que disse ainda que Luiz Antonio não vai tanto para o apoio como costuma fazer Leonardo Moura.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoFlamengo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.