Mano Menezes só quer pensar no resultado do Corinthians

Técnico diz que time deve se preocupar primeiro em vencer o Noroeste e só depois com adversários

Tercio David, estadao.com.br

30 de março de 2008 | 19h10

A vitória sobre o Marília neste domingo manteve o Corinthians com chances de se classificar para a semifinal do Paulistão. No entanto, o time não depende apenas de si, precisa contar com resultados ruins de São Paulo (que enfrenta o Juventus, no Morumbi), ou Ponte Preta (que visita o Santos, na Vila Belmiro).   Veja também:  Corinthians sofre, mas vence o Marília e segue na briga   "Não cabe a nós ficarmos preocupados com o resultado dos jogos no Morumbi ou na Vila Belmiro. Precisamos nos preocupar com o jogo contra o Noroeste, e só aí pensar nos resultados dos nosso concorrentes", ponderou o técnico Mano Menezes, em entrevista à Eldorado/ESPN, se referindo ao adversário do próximo domingo, em Bauru.   Apesar do resultado elástico, o 3 a 1 do placar não representou o sofrimento do torcedor corintiano. Apesar de sair na frente no placar, e manter o resultado até o intervalo, o time ficou com um jogador a menos (Digo Rincón foi expulso) e sofreu o empate antes dos 16 minutos do segundo tempo.   "É obvio que o Diogo errou. Errou já no cartão amarelo no primeiro tempo. Deu um branco, ele deu um carrinho e levou o cartão vermelho", disse o treinador. "Este é o problema de jogador que fica muito tempo fora do Brasil. Lá fora os árbitros não são tão rigorosos nas jogadas de carrinho. Aqui, é cartão mesmo", tratou de amenizar.   O alivio corintiano só veio depois da marca de 34, quando o Marília já tinha apenas 10 jogadores em campo e depois da entrada do atacante Finazzi, no lugar do volante Fabinho. A alteração, apesar de arriscada, se mostrou eficiente.   "Por conta do andamento do jogo, tive a opção de tirar um zagueiro ou um volante. Preferi por tirar um volante, segurar o Carlão mais na defesa e liberar mais o André Santos para jogar mais à frente, quase que como um meia-atacante. A mudança deu certo e ele acabou fazendo dois gols", comentou Mano, que também comentou o retorno de Finazzi.   "A entrada do Finazzi foi importante para abrir a defesa do Marília. Ele não estava em plenas condições, mas precisei dele e ele aceitou o desafio. Isto é importante", disse o treinador, sobre o atacante que não jogava a dois meses.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.