José Patrício/AE
José Patrício/AE

Mano não teme provocações a Ronaldo no Uruguai

Técnico do Corinthians elogia postura do craque quando foi chamado de gordo pelos jogadores do Racing

AE, Agência Estado

13 de abril de 2010 | 12h56

O técnico Mano Menezes afirmou que não está preocupado com a forte possibilidade de Ronaldo voltar a sofrer, nesta quarta-feira, contra o Racing, às 21h50, no Uruguai, pela primeira fase da Copa Libertadores, com as provocações dos jogadores do time uruguaio, fato que ocorreu na estreia corintiana nesta edição da competição, no Pacaembu.

Veja também:

linkAlessandro e Mattos desfalcam o Corinthians no Uruguai

linkFelipe treina, mas ainda será desfalque do Corinthians

"A provocação é a coisa mais normal dentro de um jogo de futebol. Quem não saber se portar, não pode jogar. O zagueiro tenta se impor muitas vezes mais na força física. O Ronaldo é que tem de saber lidar com isso e ele soube fazer isso muito bem aqui", afirmou Mano Menezes.

O treinador também disse que o estilo de jogo da Libertadores, de muita marcação e raça das equipes, tem impedido Ronaldo de brilhar como gostaria nos jogos do Corinthians na competição. "O maior dificuldade para um jogador de frente é jogar com volume de jogo, e na Libertadores nem sempre é possível ter esse volume. Para um jogador como ele, essa é a maior dificuldade, pois a bola não chega muito para ele", analisou.

No jogo de estreia da Libertadores, o Corinthians venceu o Racing por 2 a 1, de virada, e os jogadores da equipe adversária tentaram desestabilizar Ronaldo chamando o craque, entre outras de coisas, de gordo. O atacante, porém, não deu importância às provocações e optou por abusar de algumas fintas com o objetivo de humilhar os uruguaios.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.