Washington Alves/Cruzeiro
Washington Alves/Cruzeiro

Mano projeta três vitórias seguidas para Cruzeiro entrar na briga pelo título

Após um irregular começo de campeonato, time mineiro ganha do Coritiba por 2 a 0

Estadao Conteudo

26 de junho de 2017 | 08h58

Satisfeito com a vitória e a com a atuação do Cruzeiro, no domingo, o técnico Mano Menezes já sonha alto no Brasileirão. E, após um irregular começo de campeonato, ele acredita que o time mineiro tem condições de entrar na briga pelo título se emplacar três vitórias consecutivas, nas próximas rodadas.

"Precisamos de uma sequência de vitórias, sem dúvida nenhuma. Sempre falo que o número mágico é três. A partir de três vitórias é que essa confiança começa a voltar, que as coisas começam a acontecer mais naturalmente. Fizemos uma. Faltam duas para esse número para a equipe retomar essa condição de aliar um bom jogo ao resultado", afirmou.

Mano acredita que o Cruzeiro já atingiu a regularidade no campeonato. E aposta que a "trinca" dará confiança suficiente ao time para compensar os eventuais tropeços. "O time, nos últimos jogos, atingiu uma regularidade. O time é muito forte e quando tiver possibilidades físicas de estar bem, porque existe alguns momentos que o desgaste vai apontar para pequenas quedas. Mas aí, se a confiança está mais alta, você supera isso com essa confiança."

Esta confiança conquistada recentemente passará pelo primeiro teste na quarta-feira, pela Copa do Brasil. O Cruzeiro fará o jogo de ida das quartas de final contra o Palmeiras no Allianz Parque.

"A gente sempre quer a vitória. Às vezes a gente apela para o regulamento quando não conseguimos de outra maneira, podemos fazer um grande jogo vencer e abrir uma vantagem, assim como eles também querem", afirmou o treinador.

Apesar da fama de retranqueiro, Mano prometeu uma postura ofensiva do Cruzeiro fora de casa. "Não gosto de jogar atrás, gosto de jogar para frente, meu coração bate menos, fico mais calmo. Temos que trabalhar bastante, o torcedor já viu uma atuação melhor da equipe hoje", declarou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.