Paulo Fonseca/EFE
Paulo Fonseca/EFE

Mano recupera status com fim do jejum de títulos na sua competição 'preferida'

Última conquista do treinador havia sido no torneio em 2009, pelo Corinthians

Leandro Silveira, Estadão Conteúdo

28 de setembro de 2017 | 00h14

A Copa do Brasil perpassa alguns dos momentos mais marcantes da carreira de Mano Menezes. Foi na competição que, ao dirigir uma zebra, ele começou a se tornar conhecido no cenário nacional. Foi também nela que conquistou o seu último título antes de assumir a seleção brasileira. E agora é na Copa do Brasil com o Cruzeiro que o treinador encerra um longo jejum de títulos na sua carreira.

+ Cruzeiro bate Flamengo nos pênaltis e conquista a Copa do Brasil

Mano Menezes era quase um novato no banco de reservas quando conduziu o XV de Campo Bom, do interior gaúcho, até as semifinais da Copa do Brasil de 2004, com uma campanha em que eliminou o Vasco e só parou em outra zebra, o Santo André, que acabou sendo campeão contra o Flamengo em pleno estádio do Maracanã, no Rio.

Aquela campanha não rendeu título a Mano Menezes, mas abriu o caminho para saltos bem maiores na sua carreira como a passagem pelo Grêmio, iniciada em 2005 e encerrada ao fim da temporada de 2007, quando decidiu assumir o Corinthians, então recém-rebaixado para a Série B do Campeonato Brasileiro.

A aposta, ousada, deu certo, com Mano Menezes levando o Corinthians a recuperar o protagonismo no futebol nacional, a ponto de ser finalista da Copa do Brasil de 2008, mesmo quando estava na segunda divisão nacional, e de faturar o título da mesma competição em 2009, com um time liderado por Ronaldo Fenômeno e que passou pelo Internacional na grande decisão.

O bom trabalho conduziu Mano Menezes ao comando da seleção brasileira em 2010. O treinador, então, parecia próximo do auge e da consagração. Mas, depois, muita coisa deu errado: foi demitido da seleção brasileira em 2012, assumiu o Flamengo em 2013, mas deixou o clube meses antes de o time carioca conquistar a Copa do Brasil com uma solução caseira - Jayme de Almeida.

Na sequência, passou por Corinthians, Cruzeiro e Shandong Luneng (China) sem conseguir ser campeão. Ainda assim, voltou ao clube mineiro em julho de 2016 para um segundo trabalho, tendo de salvá-lo do risco de rebaixamento, o que fez com sucesso nas duas oportunidades. Agora, porém, fez ainda mais.

Nesta quarta-feira, então, a Copa do Brasil e Mano Menezes retomam uma união praticamente perfeita. Dirigindo o time em uma campanha que incluiu a eliminação de gigantes como Palmeiras, São Paulo e Grêmio, conduziu o Cruzeiro ao seu quinto título da Copa do Brasil.

O torcedor cruzeirense, claro, tem muito a comemorar. Mas também Mano Menezes, que se junta a Levir Culpi e Renato Gaúcho com dois títulos da Copa do Brasil - Luiz Felipe Scolari é o maior campeão do torneio, com quatro conquistas.

Afinal, Mano Menezes conseguiu consolidar um time que não brilha, mas foi consistente, especialmente no meio de campo, para voltar a ser campeão como técnico depois de oito anos, e novamente da Copa do Brasil, para reconquistar o status de ser um dos grandes técnicos do País.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.