Mano rejeita desejo santista e descarta poupar Neymar

Apesar dos apelos de Muricy Ramalho e da diretoria do Santos, que dizem que Neymar está cansado e queriam que ele fosse preservado pela seleção brasileira, o técnico Mano Menezes já avisou que conta com o seu principal jogador para os dois jogos do Superclássico das Américas, contra a Argentina. A primeira partida é nesta quarta, em Goiânia.

VÍTOR MARQUES, Agência Estado

18 de setembro de 2012 | 15h30

"Penso que o lugar que ele (Neymar) mais descansa é na seleção. Aqui ele não sai para nada. Treina, se alimenta, descansa e joga. Se o Santos estiver em uma outra condição, de outubro a novembro (nos próximos amistosos da seleção), vamos respeitar, mas ele se transformou no jogador mais importante que joga no Brasil. Não vejo como deixá-lo de fora", explicou Mano Menezes, em entrevista coletiva.

O treinador também evitou supervalorizar os jogos diante da Argentina, apesar de ser esta a maior rival do Brasil. "Não há peso a mais, mas também não desconsidero os jogos, porque senão seria incoerente", disse ele, lembrando que, ao fazer a convocação, deu preferência a manter o planejamento em detrimento a um time mais rodado. "Poderia ter feito uma seleção com jogadores mais experientes, mas procurei dar a mesma conotação do ano passado. Essa é uma oportunidade para eles (jogadores) aproveitarem."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolseleção brasileira

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.