JF Diório/AE
JF Diório/AE

Mano ressalta atuações de Felipe, Marcelo Oliveira e Ronaldo

Técnico do Corinthians comemora a vitória do Corinthians por 2 a 0 sobre o Inter no Estádio do Pacaembu

18 de junho de 2009 | 00h51

Contente com a atuação do Corinthians na vitória por 2 a 0 diante do Internacional na noite desta quarta-feira no Pacaembu, o técnico Mano Menezes disparou elogios para todos os jogadores no vestiário após a partida. Mas, para ele, três atletas tiveram uma noite ainda mais especial: Ronaldo, Felipe e Marcelo Oliveira.

Veja também:

linkCorinthians bate Inter por 2 a 0 e fica perto do título

lista COPA DO BRASIL - Resultados e calendário

especial Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Sobre o Fenômeno, o treinador destacou que já esperava uma grande atuação. "Eu tinha uma boa expectativa, é o jogador preparado para este tipo de jogo. E a grande diferença é que agora estamos tendo mais gente preparada para estas partidas. É a referencia que um atleta como este vai passando para os outros".

Segundo Mano Menezes, um dos que mais evoluíram desde que ele chegou ao Corinthians, em dezembro de 2007, foi o goleiro Felipe. "Ele é muito mais maduro, profissional, colhe dentro do campo os frutos desta mudança de atitude pessoal. Hoje (quarta) fez grandes defesas mais uma vez, em momentos importantes do jogo. É isso que se quer de um grande goleiro, que defenda a bola do jogo".

No entanto, para o técnico, a noite foi ainda mais especial para o lateral-esquerdo Marcelo Oliveira, escolhido por ele para substituir André Santos, que está com a seleção brasileira na Copa das Confederações.

"Gostei muito do Marcelo Oliveira, e a atuação dele mostra que temos um grande grupo. Tínhamos um problemão para resolver, não é fácil substituir um dos melhores laterais-esquerdos do Brasil", ressaltou.

COMPARAÇÃO

No ano passado, o Corinthians disputou a final da Copa do Brasil contra o Sport Recife. Venceu o primeiro jogo em São Paulo por 3 a 1 e perdeu em Pernambuco por 2 a 0, deixando escapar a chance de levantar a taça. Mas, para Mano Menezes, a situação é diferente nesta temporada.

"Realmente existe uma diferença neste gol que você sofre dentro de casa. Se invertem os papéis. Nós podemos tomar três gols e, se fizermos um, seremos campeões. É esta a diferença no ano passado. Mas não vou trabalhar a preparação do jogo pensando desta forma. Temos que trabalhar para vencer o jogo em Porto Alegre", assinalou.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.