Mano se inspira em Phil Jackson para lidar com Ronaldo

Técnico compara caso do Fenômeno ao de Jordan para explicar relação dos outros atletas com a estrela

Fábio Hecico, Agencia Estado

27 de dezembro de 2008 | 15h00

Mano Menezes está sorrindo à toa. Ganhou todas as contratações que pediu e, de bônus, recebeu o atacante Ronaldo. O prêmio é tão grande que ele foi buscar na NBA a fórmula para tratar com a estrela sem menosprezar ou causar ciúmes nos demais jogadores do elenco. O treinador usará o livro "Cesta Sagrada", do técnico Phil Jackson, que dirigiu Michael Jordan no hexacampeão Chicago Bulls, e depois faturou mais três títulos com o Los Angeles Lakers de Shaquille O''Neal e Kobe Bryant.Veja também: Ouça: Mano fala pela primeira vez sobre a contratação de RonaldoRonaldo terá cobranças, e não privilégios, diz técnicoSem Ronaldo, Corinthians faz treino leve no Parque São Jorge TV Estadão: as caretas do primeiro treinoConfira as novidades do mercado do futebol Paulistão 2009 - Tabela TV Estadão: Diretor de Futebol do Corinthians explica caso Herrera Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão  "O livro tratava da relação do Jordan com os outros jogadores. No primeiro momento, diante de um jogador acima da média, todos só ficavam observando ao invés de jogar", observou Mano. "Aqui, nos primeiros dias, também será assim. Mas tentaremos, no dia-a-dia, deixar sua chegada o mais natural. Quanto mais cedo conseguirmos, chegaremos ao resultado que queremos", seguiu. "É assim que vou conduzir, foi o tom da primeira conversa para que as coisas andassem bem."Cauteloso como um treinador deve ser, eufórico no lado torcedor, Mano está radiante por contar com um dos maiores atacantes da atualidade. Ele garante não ter dúvidas de que Ronaldo voltará a encantar o mundo. "Com boa condição, ele vai recuperar muito de sua capacidade." Como? "Diminuindo sua faixa de ação para aproveitar sua capacidade de definição. Não o vejo mais dando arrancadas mais longas, vindo do meio-de-campo."

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansMano MenezesRonaldo

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.