Jonne Roriz/AE
Jonne Roriz/AE

Mano se irrita com o árbitro e os erros do Corinthians

Treinador reclama de um pênalti não marcado em Dentinho e lamenta falhas nas jogadas aéreas

FÁBIO HECICO E JULIANO COSTA, Agencia Estado

01 de novembro de 2009 | 20h54

Foi por muito pouco que Mano Menezes não acabou expulso de campo pelo árbitro Heber Roberto Lopes. O técnico estava alucinado à beira do gramado com os erros de finalização da sua equipe, as falhas pelo alto - que geraram os dois gols do Palmeiras - e também com o próprio juiz.

Veja também:

link Palmeiras arranca empate com Corinthians e continua líder

link Público decepciona no clássico

tabela SIMULADOR - Veja quem pode ser o campeão

especialMASCOTES - Baixe o papel de parede do seu time

especialVisite o canal especial do Brasileirão

Brasileirão 2009 - lista Tabela | tabelaClassificação

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

"Não sou daqueles que diz que existe alguma coisa extra-campo, mas pela capacidade que o Heber tem, acho que não teve boa arbitragem. Principalmente depois da expulsão (do Marcos). O Danilo deveria ter sido expulso, pela entrada forte que deu no Jorge Henrique. E, pra mim, também foi pênalti em cima do Dentinho", reclamou o treinador.

Mano aproveitou também para criticar seus marcadores. "Deixamos escapar um resultado, e se deixamos é porque faltou paciência para marcar. Não tivemos maturidade na reta final para definir, embora a impressão é que ia ser difícil ganhar pelo que vi do apito".

O treinador viu apatia em alguns jogadores. "Gol de bola aérea não é mérito do adversário, é falha da defesa. Você está de frente, pode usar o corpo para evitar movimentação rival. O primeiro gol realmente saiu num ponto difícil, mas no segundo deixamos um jogador escapar. Tomamos dois gols assim e saio insatisfeito com o rendimento nesse tipo de jogada".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.