Mano torce por volta de Chicão para ter 'Corinthians ideal'

Técnico espera que jogador seja absolvido da suspensão de 120 dias imposta pelo STJD por agressão

Marcel Rizzo, Jornal da Tarde

21 de outubro de 2008 | 18h30

O técnico Mano Menezes acredita ter encontrado o time ideal do Corinthians para o momento decisivo da Série B. Essa "equipe dos sonhos" tem Felipe no gol; os laterais Alessandro e André Santos; a zaga com Chicão e William; o meio formado por Cristian, Elias, Morais e Douglas; e os atacantes goleadores Herrera e Dentinho. Veja também: Brasileirão Série B - ClassificaçãoCorintianos esgotam bilhetes de arquibancada para sábado André Santos quer jogar na seleção brasileira Dê seu palpite no Bolão Vip do Limão É com estes 11 jogadores que treinador sonha em subir ao gramado do Pacaembu, no sábado, contra o Ceará. Pode ser o jogo do retorno do time à Série A, e só falta um julgamento para não tirar da foto da partida um dos jogadores mais importantes na campanha: Chicão. "Acredito que o Chicão possa ser absolvido e entre em campo. Seria fantástico ter o time completo em um jogo decisivo", disse nesta terça-feira um otimista Mano Menezes. O zagueiro, por enquanto, é o único desfalque em um duelo que promete ser festivo. Para conseguir voltar à elite já nesta partida, o Corinthians precisa bater o Ceará e torcer para que Vila Nova ou Barueri, um dos dois, não vença o seu duelo. Os goianos recebem na sexta-feira a Ponte Preta e os paulistas enfrentam, em casa, o Paraná, no sábado - mesmo horário do Corinthians. Se o Vila já não vencer na sexta, o time entra no Pacaembu precisando apenas de seu resultado. A situação de Chicão, porém, é delicada. Ele foi julgado em 8 de outubro por ter pisado no atacante Luan, do São Caetano, em jogo de 27 de setembro. Ele acabou expulso naquela partida e pegou uma suspensão pesada: 120 dias, condenado pelo artigo 253 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), agressão física. O departamento jurídico corintiano entrou com um recurso e pede a desclassificação da agressão para o artigo 255 - ato de hostilidade, que prevê de uma a três partidas fora. Como já cumpriu essa pena, poderia estar em campo contra o Ceará. O novo julgamento será na quinta-feira, no Pleno do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD), no Rio. Chicão se juntaria a André Santos e Herrera, que estavam machucados e não enfrentaram o Bahia. "Eles retornam ao time", avisou Mano. No treino desta terça-feira, Alessandro e William foram poupados, o primeiro gripado e o segundo para evitar dores musculares, mas ambos estão confirmados para o jogo mais importante da temporada. Mesmo com a chegada à final da Copa do Brasil, Mano Menezes e a diretoria sempre disseram que o principal objetivo era o acesso à Série A. Chicão tem 44 jogos pelo Corinthians na temporada, e anotou 9 gols - é o principal cobrador de pênaltis da equipe. "Nenhum jogador gosta de ficar de fora em um momento importante como esse", definiu o atleta, destaque no Figueirense no Brasileiro de 2007. Sem o titular, o companheiro de William na zaga segue sendo Fábio Ferreira. Este tem o contrato terminando em dezembro e dificilmente terá o acordo renovado - a fama de baladeiro ainda persegue o jogador no clube. Por isso, a diretoria vai tentar a contração de defensores para 2009.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.