Mano vê motivos para elogios, apesar de empate

'Quando estava 11 contra 11, tivemos chances de abrir o placar', justifica o técnico corintiano

31 de janeiro de 2008 | 00h26

Apesar do mau resultado - o segundo empate sem gols consecutivo do Corinthians - , o técnico Mano Menezes elogiou o comportamento da equipe em razão jogar a maior parte do jogo com um homem a menos. "Quando estava 11 contra 11, tivemos chances de abrir o placar", disse ele, após o empate sem gols com o Sertãozinho, nesta quarta-feira. Veja também: Classificação Calendário / Resultados Corinthians fica em um empate sem gols com o Sertãozinho Para Mano, a expulsão de Perdigão obrigou o time a mudar a postura de atuar diante do adversário. "Estivemos mais preocupado em nos defender na segunda parte do jogo, só poderíamos ter buscado a vitória em um erro deles ou uma jogada individual", afirmou Mano. Mano chegou afirmar a que sem a expulsão o Corinthians sairia de campo vitorioso. "Acho que teríamos ganho", afirmou o treinador, que precisou sacar Acosta para colocar um volante Bóvio. "A escolha (da substituição, foi acertada." O treinador corintiano espera evolução para a próxima partida. "Criamos muito, mas desperdiçamos muitos. Temos de avançar por aí", disse. Acosta reclamou de ter sido substituído. "Não gostei de ter saído, eu estava me movimentando bem, de meia-atacante. Mas depois eu conversei com o Mano e fiquei mais tranqüilo", disse o uruguaio. O lateral-esquerdo André Santos comemorou o ponto conquistado no interior. "Para quem quer chegar no campeonato, a gente soube jogar com inteligência e somou um ponto importante", destacou André Santos. Para a partida de sábado, contra o Mirassol, o técnico Mano Menezes deve promover a estréia do volante Fabinho.

Tudo o que sabemos sobre:
CorinthiansMano MenezesPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.