ALEX SILVA/ESTADAO
ALEX SILVA/ESTADAO

Mano vê Palmeiras mais maduro após vitória contra a Chapecoense

Gol salvador de Felipe Melo saiu somente aos 54 minutos do segundo tempo

Redação, O Estado de S.Paulo

17 de outubro de 2019 | 04h31

Para o técnico Mano Menezes, jogos como o de quarta-feira diante Chapecoense, no Allianz Parque, são importantes para fazer o Palmeiras amadurecer no Campeonato Brasileiro. O gol de Felipe Melo que garantiu a vitória por 1 a 0 saiu aos 54 minutos do segundo tempo depois de a equipe ter pressionado o adversário durante praticamente toda a partida.

"Fomos premiados no final pela insistência e entrega. Jogos como esse serão jogados no segundo turno. Quando demorarmos para iniciar a vitória, elas também podem se tornar dramáticas. Mas também vamos aprendendo como resolver problemas, é importante para a equipe amadurecer", disse Mano.

O Palmeiras mereceu a vitória, mas o triunfo poderia ter sido conquistado mais facilmente se os jogadores não tivessem falhando tanto nas finalizações, principalmente na etapa final. "Atacamos pela direita, esquerda, criamos jogadas por dentro, chutamos de fora, cabeceamos, criamos um número grande de oportunidades, mas a bola não entrava. Foi isso que tornou o jogo muito dramático", disse o treinador.

Na avaliação de Mano, a única partida sob o seu comando em que o Palmeiras não jogou bem foi a derrota por 2 a 0 diante da Santos na semana passada. "Nos outros jogos, encontramos dificuldades, mas resolvemos. Se tivéssemos tido um pouquinho de calma contra o Atlético-MG (empate por 1 a 1), também teríamos vencido. Isso é importante, do outro lado têm equipes que trabalham, que estudam o adversário e jogadores de qualidade. Precisamos ir entendendo os jogos", disse.

O Palmeiras volta a campo no domingo, quando enfrenta o Athletico-PR na Arena da Baixada. A equipe ocupa a segunda colocação do Campeonato Brasileiro com 53 pontos, oito a menos do que líder Flamengo.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.