Divulgação
Divulgação

Maracanã rebate nota do Vasco e nega desrespeitar contrato

Concessionária do estádio divulga nota 'esclarecendo sua posição quanto aos pontos levantados' pelo clube de São Januário

MARCIO DOLZAN, O Estado de S. Paulo

25 de fevereiro de 2015 | 20h21

O Consórcio Maracanã divulgou comunicado no início da noite desta quarta-feira em resposta à nota publicada pelo Vasco na noite anterior. Sob o título "A Verdade sobre o Maracanã", o texto assinado pelo presidente do clube, Eurico Miranda, acusava o consórcio de discriminar o Vasco e, dessa forma, desrespeitar o contrato de concessão do estádio.

"O Maracanã reitera seu apreço pelo Vasco, que, entre 2013 e 2014, realizou 11 partidas no estádio, sendo oito como mandante. Finalizamos o ano de 2014 com grandes momentos do clube no estádio, como no jogo da volta à Série "A" do Campeonato Brasileiro, quando mais de 56 mil torcedores estiveram presentes e a equipe cruzmaltina estampou em seu uniforme a campanha #todosjuntosnomaraca", diz o primeiro dos quatro itens do comunicado divulgado pelo Consórcio Maracanã.

A concessionária, porém, rebateu a afirmação de Eurico de que não estaria respeitando artigos do contrato de concessão assinado com o estado do Rio de Janeiro. Segundo o comunicado, a nota do Vasco omitiu trechos que autorizam o consórcio a celebrar contratos em condições diferentes entre um clube e outro.

De acordo com o inciso I do item 3.2.3 do Contrato, item este não citado na nota oficial do Vasco, é permitido, sim, ao Maracanã "celebrar contratos em condições negociais distintas, em função da especificidade de cada cliente..., ordem cronológica de contratação ou disponibilidade dos equipamentos, dentro de políticas comerciais razoáveis e proporcionais que visem à otimização da utilização do Complexo".

Assim, a customização de vestiários, a instalação de lojas temáticas e o direito concedido a Fluminense e Flamengo de utilizarem, respectivamente, os setores Sul e Norte do estádio, são condições negociais perfeitamente de acordo com o Contrato de Concessão, não representando qualquer discriminação com relação aos demais clubes", destaca o texto.

NOTA

"'Com relação à nota oficial emitida pelo Club de Regatas Vasco da Gama, sob o título "A Verdade sobre o Maracanã", a concessionária que administra o estádio vem esclarecer sua posição quanto aos pontos levantados.

1- O Maracanã reitera seu apreço pelo Vasco, que, entre 2013 e 2014, realizou 11 partidas no estádio, sendo oito como mandante. Finalizamos o ano de 2014 com grandes momentos do clube no estádio, como no jogo da volta à série "A" do Campeonato Brasileiro, quando mais de 56 mil torcedores estiveram presentes e a equipe cruz-maltina estampou em seu uniforme a campanha #todosjuntosnomaraca.

2- Em atendimento ao citado inciso I, do item 3.2.2 do Contrato de Concessão, o Maracanã nunca firmou, nem poderia ter firmado, qualquer contrato que previsse a "utilização exclusiva dos Equipamentos Esportivos, e, em particular, do Estádio do Maracanã, por uma ou mais de uma agremiação, clube, associação ou confederação desportiva, vedando o acesso e/ou impondo tratamento discriminatório entre as agremiações que utilizam os Equipamentos do Maracanã, por meio de celebração de instrumentos públicos ou privados que visem a oferecer exclusividade de utilização". Prova disto é o fato de deter contratos de longo prazo com três dos quatro grandes clubes cariocas.

3- Ainda de acordo com o também citado inciso II do item 3.2.3 do mesmo Contrato, o Maracanã tem mantido "pelo menos dois vestiários neutros sem qualquer tipo de identificação ou customização", haja vista que o estádio possui quatro vestiários e, até o momento, apenas um foi customizado para uso do Fluminense. Para este ano está prevista a customização de um segundo vestiário para uso do Flamengo.

4- Deve-se registrar ainda que, de acordo com o inciso I do item 3.2.3 do Contrato, item este não citado na nota oficial do Vasco, é permitido, sim, ao Maracanã "celebrar contratos em condições negociais distintas, em função da especificidade de cada cliente..., ordem cronológica de contratação ou disponibilidade dos equipamentos, dentro de políticas comerciais razoáveis e proporcionais que visem à otimização da utilização do Complexo".  Assim, a customização de vestiários, a instalação de lojas temáticas e o direito concedido a Fluminense e Flamengo de utilizarem, respectivamente, os setores Sul e Norte do estádio, são condições negociais perfeitamente de acordo com o Contrato de Concessão, não representando qualquer discriminação com relação aos demais clubes.

Mais uma vez, o Maracanã reitera sua posição em defesa do respeito aos seus contratos com os clubes e a sua crença na força e na profissionalização do futebol carioca."

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.