Gilvan de Souza / Flamengo
Gilvan de Souza / Flamengo

Maracanã recebe Fla-Flu decisivo com nervos à flor da pele na Sul-Americana

Vivendo momentos difíceis no Campeonato Brasileiro, rivais tentam se manter na competição para salvar a temporada

Estadão Conteúdo

01 Novembro 2017 | 07h26

Um Fla-Flu decisivo e com nervos à flor da pele como costumam ser todos os clássicos entre os dois times promete encher o Maracanã na noite desta quarta-feira. Vivendo momentos difíceis no Campeonato Brasileiro, Flamengo e Fluminense devem fazer um duelo franco, a partir das 21h45, em busca da chance de seguir na luta pelo título Copa Sul-Americana e salvar a temporada. A vantagem é do time rubro-negro, que venceu a partida de ida das quartas de final por 1 a 0 e agora joga por um empate.

+ Rueda confirma ausência de Guerrero no Fla, mas faz mistério sobre substituto

+ Abel aposta na superação do Flu e em Dourado para eliminar o Fla na sul-americana

Até esta terça-feira, 29 mil ingressos haviam sido vendidos - o Flamengo é o mandante. Mas a euforia do torcedor e a vitória no jogo de ida não mudaram o discurso cauteloso do técnico rubro-negro, o colombiano Reinaldo Rueda.

"Cada dia é uma nova história. Temos grande respeito pelo rival, e não podemos ter excesso de confiança para esse jogo", ressaltou o treinador. Ele terá um desfalque importante: o peruano Paolo Guerrero não se recuperou totalmente de uma lesão muscular na coxa esquerda e foi vetado. Rueda não confirmou o substituto, mas a tendência é a de que Lucas Paquetá ganhe a vaga no ataque.

"Infelizmente perdemos Vizeu porque esteve quase três semanas no departamento médico. Estava se reabilitando. Paquetá teve oportunidade de jogar antes e mostrou bom futebol. São jogadores diferentes... Vizeu está retomando ritmo, voltando ao seu nível ideal", comentou o técnico.

No Fluminense, Abel Braga não fez nenhum mistério. "O time é o mesmo que começou contra o Bahia (pelo Brasileirão no último final de semana). Meu time está procurando sempre o melhor, dentro das nossas possibilidades", afirmou o comandante. "Temos um adversário forte do outro lado. Vamos procurar nosso melhor, mas nosso melhor mesmo, sem qualquer tipo de receio. Estamos preparados."

Os desfalques do time tricolor estão na zaga, já que Gum não foi inscrito na Sul-Americana e Henrique irá esperar vaga no banco. "Para (Henrique) começar jogando ainda não dá. Fizemos um coletivo ontem (segunda-feira) justamente por isso, para que ele pudesse pegar um pouco mais de ritmo", disse Abel, dando a entender que o zagueiro poderá entrar no decorrer na partida.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.