Reprodução Twitter Dorados de Sinaloa
Reprodução Twitter Dorados de Sinaloa

Maradona celebra chegada a clube mexicano e promete time ofensivo

'Assumo esta responsabilidade como se fosse um novo filho', afirma o treinador argentino

Estadão Conteúdo

10 Setembro 2018 | 20h00

Diego Maradona foi apresentado oficialmente nesta segunda-feira como novo técnico do Dorados de Sinaloa. Em seu mais novo desafio, o ex-jogador argentino terá o objetivo de erguer uma equipe que vai mal na segunda divisão do México. E ele se mostrou entusiasmado com a tarefa.

"Assumo esta responsabilidade como se fosse um novo filho. Desde que deixei para trás minha doença, há 15 anos, eu estava me consumindo. Quero explicar que quando eu estava doente, andava para trás. Dava passos para trás, e o que tem que fazer o jogador de futebol é ir em frente. Tudo mudou graças às minhas filhas", declarou.

Maradona apresentou um programa de futebol em um canal venezuelano durante a Copa do Mundo da Rússia e, pouco depois, foi oficializado como presidente do Dínamo Brest, da Bielo-Rússia. No entanto, depois de sua apresentação oficial, nunca mais voltou ao clube.

O último trabalho de Maradona como treinador foi no ano passado no Al Fujairah, da segunda divisão dos Emirados Árabes Unidos. O Dorados pertence à empresa Grupo Caliente, do empresário e político mexicano Jorge Hank Rhon, que opera cassinos em todo o país. Rhon também é dono do Tijuana, que está na primeira divisão.

O Dorados ocupa atualmente a 13.ª colocação da segunda divisão no México, com apenas três pontos ganhos em seis rodadas. O líder, Atlante, tem 16 pontos. E para tirar o time da má fase, o argentino prometeu muita ofensividade em campo. "Vamos buscar as partidas, não gosto de defender. Vim trabalhar, deixar meu coração", afirmou.

A quem desconfia de sua qualidade como técnico, Maradona rebateu e garantiu que não faltará esforço para reerguer o Dorados. "Não viemos a passeio, nem de férias. Viemos trabalhar, dar uma mão para os rapazes. Mas nós precisamos que a torcida esteja conosco. Se isso acontecer, vai ser difícil ganhar da gente. Vamos sair em busca das partidas."

 

 

Mais conteúdo sobre:
Maradona

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.