Fernando Vergara/AP
Fernando Vergara/AP

Maradona chama Blatter de corrupto e apoiará príncipe Ali

Argentino revela apoio a jordaniano na eleição da Fifa

EFE

10 de abril de 2015 | 10h32

Diego Maradona afirmou nesta quinta-feira (data local) que o príncipe jordaniano Ali Bin al-Hussein pode surpreender Joseph Blatter na próxima eleição da Fifa, por considerar que o atual presidente da entidade é "corrupto".

"Eu acho que podemos tirar o corrupto Blatter da Fifa e estou muito motivado a dizer para ele: vá embora, o seu ciclo já terminou", disse Maradona em entrevista coletiva em Bogotá, onde jogará uma partida amistosa com ex-jogadores sul-americanos.

O ídolo da seleção argentina disse apoiar o projeto de Al-Hussein porque o príncipe jordaniano "não tem necessidade de roubar, tem seu dinheiro e muito, e não precisa fazer o que Blatter faz, de se achar o todo-poderoso do futebol quando nunca deu um chute em uma bola".

Maradona explicou que o projeto de Al-Hussein inclui, entre outras coisas, construir campos na África, na Colômbia, no Equador e em várias partes do mundo para que as crianças possam jogar futebol e, dessa forma, se afastarem das ruas.

Apesar de afirmar que, por enquanto, está concentrado em ajudar a candidatura do príncipe jordaniano, Maradona revelou que a ideia de voltar a ser treinador segue o rondando.

A eleição para a escolha do novo presidente da Fifa ocorrerá no próximo dia 29 de maio, na Suíça. Além de Blatter e Al-Hussein, concorrem ao cargo o presidente da Federação Holandesa de Futebol, Michael van Praag, e o ex-jogador português Luís Figo. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.