Maradona chama Pelé de Rei

Pelé caricaturado como coiote e Diego Maradona como se fosse o papa-léguas. Desta forma, imitando o clássico desenho da Warner Bross, o ex-astro do futebol argentino introduziu "o Rei", em seu programa, "La Noche del Diez (A Noite do Dez). No desenho, Pelé como coiote, ia de mal a pior tentando pegar o Maradona Papa-Léguas. Quedas em precipícios, explosões de dinamite, mas a gozação acabou por aí. Logo depois, Pelé, acompanhado por Maradona, fez uma entrada triunfal no estúdio. Sentados a uma mesa com as cores das bandeiras do Brasil e da Argentina, Maradona entrevistou Pelé. Maradona foi tratando o ex-jogador brasileiro como se fosse um velho amigo. "E ai, Rei o que você conta?", perguntou Maradona. Pelé agradeceu, elogiou o desempenho de "el diez" como apresentador de TV e comentou que quando partiu do Brasil para ir à Buenos Aires, os jornalistas brasileiros lhe perguntaram porquê ia encontrar-se com Maradona. "Vou encontrar o Maradona sim, porque não? Ele é um vencedor, é um exemplo", disse Pelé. Ao longo de mais de 40 minutos de bate papo, os dois astros fizeram uma catarse sobre seus problemas com a fama, sua relação com os fãs e até com a Fifa. Pelé comentou que esteve acostumado com a fama desde muito cedo. O "Rei" comentou que ao longo de sua carreira, sua família foi fundamental. "A família é muito importante na vida, com ela a gente consegue enfrentar todos os problemas." Maradona, logo depois, esquentou a conversa, perguntando a Pelé sobre sua relação com João Havelange, o ex-presidente da Fifa. Pelé gargalhou e comentou que os tempos mais críticos já haviam passado. Pelé fez uma defesa dos direitos dos jogadores de futebol e lamentou que essa profissão não conta com representantes muito unidos. Pelé também quis apresentar polêmica no programa e perguntou à Maradona se era verdade que os jogadores argentinos haviam dopado jogadores brasileiros na Copa de 90, no caso que ficou famoso pelo nome de "o garrafão do Branco". Maradona riu e disse que comentava o pecado, mas não denunciava o pecador. O argentino, com muita delicadeza e tato perguntou à Pelé sobre seu filho Edinho, e disse que lhe declarava total solidariedade. Pelé disse que agradecia "de coração", e comentou que seu filho havia feito amizades que não deveria ter feito. Os dois astros fizeram elogios e declarações e admirações mútuas. Maradona propôs uma união de forças: "Vamos unir-mos mais do que nunca, pois podemos ajudar muitas pessoas". Pelé respondeu: "Com fé em Deus tudo se pode." A entrevista foi encerrada com Pelé cantando uma composição de sua autoria e Maradona retribuiu cantando à capela, um tango. Trocaram camisetas autografadas e fizeram uma embaixadinha utilizando cabeceios. Pelé, para encerrar fez uma confidencia. Disse que há sete anos quis comprar o passe de Maradona para levá-lo ao Santos. No programa também participaram a atriz italiana Maria Grazia Cuccinocca, o jogador argentino Gabriel Batistutta, a tenista Gabriela Sabatini, entre outros.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.