Olga Maltseva / AFP
Olga Maltseva / AFP

Maradona aconselha Messi a deixar a seleção argentina

Atual treinador do Dorados, da segunda divisão do México, afirma que perdeu o encanto pela seleção

O Estado de S.Paulo

01 Outubro 2018 | 09h45

Mesmo afastado da Argentina, Diego Maradona continua dando seus pitacos sobre os rumos da equipe nacional. O campeão da Copa do 1986, que está se aventurando como técnico do Dorados, da segunda divisão do México, defendeu que Messi deixe a seleção e criticou a escolha de Scaloni como substituto de Jorge Sampaoli.

Assim como aconteceu com Neymar no Brasil, Messi preferiu não se manifestar após a eliminação da Argentina na Copa do Mundo da Rússia. Ao ser questionado se gostaria de alguma declaração do jogador, Maradona afirmou: "Sim, eu gostaria que ele tivesse mandado todos nós à m.... Porque ele não é culpado por não ser campeão mundial", disse ao Clarín.

"Na Fórmula 1, Vettel tem um ótimo motor, mas quem e vence é o Hamilton", compara. Depois, 'El Pibe' comentou o que ele gostaria de dizer para a estrela do Barcelona: "Que não venha mais", se referindo a seleção albiceleste.

O motivo? "Se o sub-15 perde, é culpa do Messi. O Racing perde para o Boca, e Messi é o culpado. É sempre culpa dele. É por isso que eu diria: 'Não vá mais, louco", explica. 

Entre as polêmicas, Maradona afirmou, por exemplo, que perdeu o encanto com a seleção. "Hoje, a seleção não desperta em mim absolutamente nada. Nós perdemos isso. A paixão. Não podemos jogar com a Nicarágua, não podemos jogar com Malta. Não, irmão. Estamos jogando todo o prestígio que ganhamos na privada", analisa.

TROCA DE COMANDO

Maradona também analisou a situação no comando técnico da Argentina, que demitiu Jorge Sampaoli e está sendo comandada pelo interino Lionel Scaloni. "Agora eles colocaram Scaloni. Scaloni é um ótimo menino, mas ele não consegue dirigir nem o tráfico. Como vamos dar a seleção argentina ao Scaloni? Estamos loucos?", questiona.

Antes de mudar de assunto, o ex-jogador conclui o pensamento. "E Scaloni diz: 'Estou pronto'. Mas como se eu nunca vi ele fazer um gol pela Argentina? Com todo o respeito. Como pessoa, podemos fazer um churrasco juntos. Mas como treinador da seleção, não".

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.