Maradona defende zagueiro Desábato

O ex-jogador argentino Diego Maradona saiu em defesa do zagueiro e compatriota Leandro Desábato, do Quimes, preso em São Paulo na última quarta-feira acusado de injúria racista contra o atacante Grafite, do São Paulo. Para ele, ?Grafite não é o primeiro nem será o último jogador a ser xingado em campo. No calor da partida tudo pode acontecer?, afirmou, em entrevista à rádio argentina Mitre.Ainda durante a entrevista, Maradona disse que o Quilmes tem seu total apoio. E fez um pedido ao presidente da Associação Argentina de Futebol (AFA), Júlio Grondona, que faça algo para resolver rapidamente a situação. ?O Quilmes está passando sufoco. Dou meu total apoio aos jogadores. Estão misturando esporte com algo que não tem nada a ver. Imagina quando vier o Brasil jogar na Argentina? Vão fazer qualquer coisa para prender os brasileiros, vai ser uma guerra?, avisa. Por coincidência, o Brasil irá até o país vizinho ainda neste ano, em jogo pelas Eliminatórias da Copa do Mundo.Notícias relacionadas ao caso: Desábato passará a noite no 13.º DP Grafite perdoa, mas mantém processo Grondona considera prisão um "exagero" Teixeira e Parreira repudiam racismo Embaixador quer desculpas de Desábato Câmara convida Grafite a debater o racismo Quilmes: delegação passou dia no hotel Desábato é um ilustre desconhecido Governo brasileiro condena ato racista Ibase encaminhará mensagens à Fifa Desábato é transferido de delegacia Alckmin condena racismo de Desábato Argentino é suspenso preventivamente Nicolás Leoz visita jogador argentino Grafite conseguiu o que queria?, diz Olé Quilmes acusa São Paulo de montar farsa Conmebol também investiga Desábato Enquete em jornal argentino vê racismo ?Atleta não demonstrou arrependimento? Delegação do Quilmes está retida em SP Jogador argentino está incomunicável Advogados tentam livrar jogador Desábato preso por racismo no Morumbi São Paulo vence Quilmes e lidera Grupo 3

Agencia Estado,

15 de abril de 2005 | 00h19

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.